Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Número dois da DSEJ defende Educação Nacional
Quinta, 30/08/2012

A disciplina de Educação Nacional ainda não é dada em nenhuma escola de Macau, mas a porta está aberta. A directora substituta dos Serviços de Educação e Juventude (DSEJ) defende o ensino da disciplina.

 

Kuok Sio Lai diz que a Educação Nacional é “indispensável para melhorar a qualidade e o civismo dos alunos”. “Os alunos podem, assim, conhecer a história do seu país. Muitos outros países leccionam esta disciplina, e Macau, nos anos 90, tinha uma parecida que era a Educação Moral e Cívica. O Governo não obriga as escolas a introduzirem a disciplina de Educação Nacional, por isso, estas podem introduzi-la ou não. Funciona como a Educação Moral, que também é uma disciplina facultativa para as escolas”, acrescentou a número dois da DSEJ.

 

As declarações de Kuok Sio Lai são feitas numa altura em que o tema da Educação Nacional está na ordem do dia em Hong Kong. Muitos pais e professores contestam a introdução da disciplina nas escolas do território vizinho, alegando que a medida constitui uma tentativa de “lavagem ao cérebro” dos mais novos.