Em destaque

25 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,0449 patacas e 1,1156 dólares norte-americanos.

 

Revista de Imprensa de Macau e Hong Kong (Segunda-feira)
Segunda, 20/08/2012

Os jornais de Macau destacam o relatório sobre a água, referente a 2011/2012. O consumo de água aumentou 5 por cento e que o Governo admite aumento da tarifa ao consumidor. Alguns diários trazem em grande plano as críticas do activista de Macau, que esteve detido no Japão por causa das Ilhas Diaoyu, ao Governo local. Nos jornais em língua inglesa de Hong Kong também em foco as Ilhas Diaoyu, mas por causa da ida de nacionalistas japoneses ao arquipélago que fez explodir uma onda de protestos em várias cidades chinesas.

 

Jornais de Macau em língua chinesa

 

O Va Kio destaca que a directora da Capitania dos Portos anuncia a apresentação dos resultados do estudo sobre água reciclada para o próximo mês. Susana Wong prevê ainda que a situação da água seja positiva neste Inverno e na próxima Primavera. Noutro título, o jornal diz que a empresa que administra a Ponte Sai Van vai enviar agentes para dar orientações 24 horas aos condutores durante esta semana. A ponte abriu ontem a via especial para motociclos. O Va Kio foca também que o prazo de utilização dos Vales de Saúde, do ano 2011, vai terminar no último dia deste mês. De acordo com o Governo, 470 mil residentes imprimiram os vales, o que significa a maior taxa de adesão desde o lançamento da ajuda.

 

O Ou Mun traz em grande plano também as declarações da presidente da Capitania dos Portos, mas sublinha a hipótese de haver necessidade de combate às marés salgadas neste Inverno e na próxima Primavera. Em ênfase ainda o aumento do consumo de água ligado ao turismo. O diário escreve que com a conclusão de grandes hotéis no ano passado, e consequente subida do número dos turistas, o consumo de água comercial aumentou 12,7 por cento face a 2010. O jornal anuncia também que vão ser abertos, gradualmente neste e no próximo ano, os concursos para técnico superior.

 

Canal chinês da Rádio Macau

 

Nesta manhã informativa, a Ou Mun Tin Toi informa que o deputado Chan Meng Kam faz críticas à adjudicação directa da empreitada de obras de construção da nova via transfronteiriça Macau-Guangdong. O canal chinês da Rádio Macau também destaca que já estão fixados os preços das Habitações Económicas do Lote 4 do Bairro da Ilha Verde.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

O Business Daily traz em grande plano a Clínica Malo. O económico escreve que a clínica “enfrenta um problema sério de dívida”. Um dos fornecedores interpôs uma acção em tribunal contra a Malo, alegando a falência da clínica. Ainda noutro destaque a Norte Oeste Expresso, que tem até ao final do mês para entregar ao Governo um plano para a retoma dos serviços. O Executivo é claro, se a companhia marítima não entregar o plano a tempo perderá a licença.

 

O Macau Daily Times faz manchete com os activistas detidos, pelas autoridades japonesas, nas Ilhas Diaoyu. O diário escreve que activista de Macau acusa o Governo da RAEM de “pouca assistência” nos dias em que esteve detido no Japão. Na fotografia, a comunidade indonésia. Os indonésios em Macau celebraram ontem a triplicar; foi celebrado o final do período do Ramadão, o aniversário do Dia da Independência do país e ainda um outro aniversário: os três anos do grupo de apoio ao trabalhadores indonésios “Peduli Indonisian Migrant Workers Concern Group”.

 

O Macau Post também traz em grande destaque as críticas de Ng Sek Io, activista detido nas Ilhas Diaoyu. Na manchete lê-se “activista das Ilhas Diaoyu critica Governo por “não fazer nada”, aquando da sua detenção em terras nipónicas.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

O Ponto Final escreve “água mais cara”. O Governo admite aumentar a tarifa ao consumidor, por causa do aumento em 26 por cento do custo da água bruta, comprada a Zhuhai. Os preços praticados do lado de lá voltam a subir em 2014. O consumo no território cresceu cinco por cento em 2011. Na fotografia o activista Ng Sek Io, que volta a casa depois de dois dias detido em Okinawa por ter desembarcado nas Ilhas Diaoyu, com outros 13 activistas de Hong Kong, proclamando a soberania chinesa naquele arquipélago. Ng Sek Io diz que foi bem tratado pelas autoridades nipónicas mas lamenta a falta de apoio do território.

 

O Hoje Macau destaca a abertura da via exclusiva para duas rodas na ponte Sai Van que “deu confusão”. Com o título “circulação precoce”, o jornal sublinha que, logo no primeiro dia, a Direcção dos Serviços para os Assuntos de Tráfego “planeia já novas medidas” para evitar colisões. Numa fotografia de capa ainda a Asia Adult Expo 2012, que faz as centrais com “pincel humano, mulher de 300 brinquedos e orgasmos ao minuto”. Em chamada  de capa “um número preocupante”, o consumo de água dos hotéis subiu 12,7 por cento.

 

O Jornal Tribuna de Macau faz manchete com o relatório sobre os transportes públicos que é entregue à Direcção dos Serviços para os Assuntos de Tráfego até ao final do mês. As conclusões vão servir para traçar as linhas mestras do sector. Em destaque fotográfico, neste diário, também a Asia Adult Expo 2012, “a montra da indústria do sexo na RAEM”. Duas das chamadas de capa dão conta de que o consumo de água subiu 5 por cento, e também que o Macau Special Olympics alerta para a falta de recursos na educação especial.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

O South China Morning Post diz que “fúria anti-japão explode na China”. Várias manifestações aconteceram em diferentes cidades, depois de nacionalistas japoneses terem levantado bandeiras nas Ilhas Diaoyu, que são reclamadas por Tóquio e Pequim e também por Taiwan. Ainda na capa, um destaque económico com o presidente da Autoridade Monetária de Hong Kong, que está preocupado com os riscos relacionados com a difícil situação económica global. Norman Chan Tak-lam alerta que o mercado imobiliário continua a mostrar “sinais de sobreaquecimento”. Tak -lam diz que também não estão ainda reunidas as condições para “um relaxamento do controlo no crédito à habitação”.

 

O China Daily puxa também para manchete os vários protestos na China contra os japoneses. Em letra grande lê-se “raiva explode com desembarque japonês”. No domingo, nacionalistas japoneses estiveram nas ilhas a levantar bandeiras do país. De acordo com o jornal, a situação tem levado “a uma preocupação crescente de que as tensões em torno das Ilhas Diaoyu possam afectar as relações sino-japonesas”. Na coluna, o diário diz que “empresas Fortune 500 são alvo sindicatos para discussão de aumentos”. Quase 95 por cento das empresas Fortune 500, a operar na China, irão ter uma negociação salarial colectiva no final de 2013.

 

O Standard traz uma manchete parecida com os outros dois diários: “China explode em fúria contra o Japão”. Este jornal publica várias fotografias dos protestos, de ontem, em diferentes cidades chinesas. Houve cerca de 20 protestos, tendo alguns sido mesmo violentos, como o de Shenzen, onde a multidão atacou carros e restaurantes japoneses.