Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Revista de Imprensa de Macau e Hong Kong (Quinta-feira)
Quinta, 16/08/2012

A decisão do Governo de anular a concessão dos terrenos do La Scala marca a actualidade informativa desta quinta-feira. Os jornais de Macau acompanham a história, com a reacção de deputados e de associações. Tanto na imprensa local, como nos jornais de Hong Kong em língua inglesa, está em grande plano a detenção de 14 activistas chineses, pelo Japão, nas Ilhas Diaoyu, no Mar do Sul da China. As autoridades de Pequim e de Hong Kong já exigiram a libertação dos cidadãos chineses. Um activista local encontra-se entre os detidos.

 

Jornais de Macau em língua chinesa

 

O Va Kio destaca o caso de libertação de gás sulfídrico em algumas fracções do Edifício Long Yuen. O director das Obras Públicas não exclui a possibilidade de, na origem do incidente, ter estado a utilização inapropriada, por alguns moradores, de lixívia ou de outros produtos químicos na rede de esgotos. Jaime Carion afasta, no entanto, a hipótese de ser enviado um grupo especial para a investigação do caso, uma vez que já há autoridades a investigar o incidente. Na capa do Va Kio ainda a detenção de 14 activistas nas Ilhas Diaoyu, pela guarda costeira japonesa. O Governo da RAEM garante estar “bastante atento” à situação. Noutro título, o diário escreve que o Executivo “declarou oficialmente a nulidade da concessão dos cinco terrenos do La Scala”. Em destaque ainda, o anúncio de que os compradores de apartamentos podem fazer o pedido de devolução do imposto do selo.

 

No Ou Mun, em foco a declaração de nulidade da concessão dos cinco terrenos do La Scala. O jornal reproduz a reacção da Associação Geral dos Moradores, que considera que a decisão do Governo é “justa” para a sociedade. Também neste diário, a notícia de um acidente com um autocarro  da Transmac, na Estrada Coelho de Amaral. O autocarro “varreu” seis veículos que estavam estacionados, tendo causado ferimentos em três pessoas.  O Ou Mun destaca ainda a tempestade tropical Kai Tak, que já levou a que fosse içado o sinal 1 em Macau. 

 

Canal chinês da Rádio Macau

 

Nesta manhã informativa, a Ou Mun Tin Toi diz que a tempestade tropical Kai Tak pode obrigar os Serviços Meteorológicos e Geofísicos a içar sinais mais fortes durante a tarde. A Rádio está a ainda noticiar a nova via especial para peões numa artéria paralela à Rua da Emenda.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

O Macau Daily Times diz na capa que o “Governo considera nula concessão de lotes do La Scala” e que “o imposto do selo vai ser devolvido”. Em destaque fotográfico, o jornal traz uma reportagem sobre um casal que retirou os filhos das escolas, com o título “a tendência para o ensino em casa”. A merecer ainda chamada a visita a Macau dos atletas chineses que ganharam medalhas de ouro nos Jogos Olímpicos.

 

O Business Daily destaca também a decisão sobre o La Scala. O económico escreve, no título principal, que o “Governo volta a agarrar terrenos do La Scala”. Ao diário, o deputado Chan Meng Kam diz que esta foi “a decisão adequada”. Noutro título, a chamada classe sandwich e as dificuldades que está a sentir em termos de habitação. Mais de 900 casas foram concluídas no primeiro semestre do ano, mas poucas servem a classe média. Ainda uma chamada de capa sobre a Macauslot. A empresa de apostas falhou o anúncio dos resultados anuais pela sexta vez consecutiva neste ano.

 

O Macau Post puxa para manchete a contenda em torno das ilhas Diaoyu, no Mar do Sul da China, que já afecta Macau. Um activista local está entre o grupo detido pelo Japão, e o Governo “falha na confirmação” da sua identidade. Este diário não deixa de trazer igualmente para a primeira página a decisão do Governo de considerar nula a concessão dos terrenos do La Scala, destacando a “autorização especial do Governo de devolução do imposto do selo” aos compradores de apartamentos daquele empreendimento de luxo.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

O Jornal Tribuna de Macau coloca em grande destaque a ida de Yao Jing Ming para o Instituto Cultural. Académico da Universidade de Macai assume vice-presidência a par de Leong Hio Ming. Os cargos são ocupados no primeiro dia do próximo mês. Na fotografia, os lotes para o La Scala, cuja concessão foi anulada pelo Governo. O JTM refere ainda que o Executivo “diz estar a analisar em termos legais”, um despacho de Lau Si Io, de 2011, relativamente à revisão da concessão dos terrenos. Ainda chamada de capa para o apoio judiciário. O diário escreve que “destino” deste apoio “está nas mãos do Governo”.

 

O Hoje Macau escreve na manchete “zonas baixas em perigo”. O jornal alerta que a tempestade tropical chega a Macau ao mesmo tempo que a maré alta, o que “pode trazer o caos”. Em, destaque fotográfico duas notícias. Do lado esquerdo, a fotografia do secretário-geral da Caritas. Paul Pun “tem solução” para excesso de T1. Do lado direito, os desenvolvimentos do caso La Scala, com a anulação da concessão dos terrenos. “Decisões de Lau Si Io estão agora sob análise”, lê-se na capa.

 

O Ponto Final diz que o “La Scala vai dar luta”, porque a China Estates, holding que detém 29,9 por cento da Moon Ocean, “não se conforma com a declaração de nulidade da transmissão dos terrenos”. A China Estates já anunciou a intenção de recorrer da decisão do Governo. As fotografias de capa remetem para a detenção de um activista de Macau nas Ilhas Diaoyu, o presidente do comité de Macau para a defesa das ilhas. No total, as autoridades japonesas detiveram 14 activistas, que acostaram na ilha Uotsurijima para reclamar a soberania chinesa naquela zona do Mar do Sul da China.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

O South China Morning Post destaca que C.Y. Leung “convoca embaixador japonês”. O Chefe do Executivo pediu a libertação dos activistas de Hong Kong e a sua segurança. O diário fala numa crescente “guerra de palavras”. Hong Kong, Pequim e Tóquio reúnem com emissários para discutir sobre os 14 activistas, detidos pela guarda costeira japonesa por causa da contenda em torno das Ilhas Diaoyu. Noutro título, o Standard Chartered: o banco britânico aceitou pagar uma multa de 340 milhões de dólares norte-americanos ao Estado de Nova Iorque, que ameaçava suspender a sua licença, pelas transações ilícitas com o Irão.

 

O China Daily diz que “Pequim exige libertação de activistas”. A polémica em torno das Ilhas Diaoyu faz a manchete deste jornal. O Governo chinês pediu a Tóquio a “imediata e incondicional libertação” dos 14 cidadãos chineses. O diário faz ainda chamada de capa com a “guerra de preços” que cria “batalha por clientes”. Uma batalha na Internet, que começou entre as duas maiores empresas, a Suning Appliance e a Jingdong Mall, mas que já se alastrou a várias outras.

 

O Standard traz em grande plano também o caso dos activistas detidos pela guarda costeira japonesa. No título lê-se “rocha sólida: activistas de Hong Kong encontram caminho entre as Ilhas Diaoyu”. O diário destaca que “os heróis”, que empunharam bandeiras chinesas no meio das ilhas, foram detidos num “confronto dramático” em alto mar.