Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Revista de Imprensa de Macau e Hong Kong (Quarta-feira)
Quarta, 15/08/2012

As explicações prestadas, ontem, na Assembleia Legislativa, pelo coordenador do Gabinete para o Desenvolvimento de Infra-estruturas sobre o colapso da Ilha da Montanha é um dos temas em foco nos jornais de Macau, quer em língua portuguesa, quer em língua inglesa. A imprensa chinesa continua de olhos postos nos Taikonautas, com o canal chinês da Rádio a dar conta da visita dos astronautas a alguns monumentos da cidade durante esta manhã. Na imprensa de Hong Kong são vários os assuntos a fazer as manchetes: o homem mais procurado na China foi morto pela polícia e a concessão de terrenos à Chinese Estates Holdings que foi considerada nula, são alguns dos temas em destaque esta quarta-feira.

 

Jornais de Macau em língua chinesa

 

A visita dos Taikonautas a Macau continua a ser o principal destaque da primeira página do jornal Va Kio. Os três astronautas estiveram ontem com mais de dois mil estudantes para partilhar as suas experiências. Aos alunos, a delegação chinesa disse esperar que se mantenham em Macau mas com os olhos virados para o mundo. O chefe da delegação afirmou que a chegada à Lua já não é um sonho eterno para a China.

 

A primeira página do jornal Ou Mun é hoje dedicada à publicidade, mas no interior as atenções voltam-se para os astronautas chineses que, ontem, responderam às perguntas de estudantes e população. O matutino destaca as declarações de Liu Yang que afirmou que atingir um objectivo na vida é uma luta inigualável. O chefe da delegação considera que a China pode ultrapassar a Rússia e os Estados Unidos em termos de tecnologia espacial mas isso vai depender da criatividade e autonomia. O jornal sublinha ainda que a China está a trabalhar para, no próximo ano, ir à Lua.

 

Canal chinês da Rádio Macau

 

Na Ou Mun Tin Toi hoje é notícia a decisão do Chefe do Executivo que declarou a nulidade dos cinco terrenos do La Scala em frente ao Aeroporto de Macau. Na manhã informativa do canal chinês da Rádio Macau, continua em foco a visita dos astronautas. A rádio dá conta da surpresa da população ao ver os Taikonautas na Fortaleza do Monte, um dos pontos turísticos da cidade visitados pelo grupo, que passou também pelo Centro de Ciência e Ruínas de S. Paulo.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

No Ponto Final lê-se “paz doméstica”. O Instituto de Acção Social volta a reunir-se em Setembro com a Comissão dos Assuntos das Mulheres para retomar a discussão sobre o combate ao crime de violência doméstica. Noutra chamada de capa, com direito a fotografia, a questão do Túnel da Ilha da Montanha. O diário titula: “SOS Montanha.” O tema esteve, ontem, em foco na Assembleia Legislativa com o coordenador do Gabinete para o Desenvolvimento de Infra-estruturas a explicar tudo o que sabia sobre o incidente. Mas calou-se quando lhe perguntaram se havia vítimas, lê-se na capa. O jornal escreve ainda  “daqui ninguém nos tira”, numa alusão ao caso do Convento da Ilha Verde.

 

O caso do túnel da Ilha da Montanha é também o grande destaque da primeira página do Hoje Macau com o jornal a escrever em manchete “De bestiais a bestas”. O diário conta que, no plenário, “Chan Hon Kit foi meiguinho com os responsáveis da empresa Nam Yue” e “à saída deu cabo deles”. Noutro tema de primeira página o fotógrafo de Taiwan que fotografou cães condenados a injecção letal como forma de “fazê-los viver para sempre”. Noutros títulos de capa o jornal escreve a propósito da visita dos Taikonautas “sala cheia entregou 140 perguntas mas só houve três respostas” e “segunda empresa diz ser a verdadeira dona do terreno” do antigo convento da Ilha Verde.

 

O Jornal Tribuna de Macau puxa para manchete os esclarecimentos do coordenador do Gabinete para o Desenvolvimento de Infra-estruturas sobre o colapso do Túnel da Ilha da Montanha. O jornal escreve em grande título “Explicações do GDI não convencem AL”. Afinal, diz o diário, a Nam Yue tinha sido avisada sobre questões de segurança no túnel subaquático. Na capa do matutino ainda o Convento da Ilha Verde que é reclamado por dois empresários: “Batalha pelo convento na Ilha Verde.”

 

Noutras chamadas de capa do JTM lê-se “número de excursionistas portugueses sobe para o dobro entre Janeiro e Junho” e “estudo sobre salário mínimo avança hoje, mas já devia ter arrancado há seis meses”.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

 “Deputados questionam sobre motivos do colapso do túnel”, escreve o Macau Daily Times na manchete. Na primeira deste jornal surge, ainda, em grande plano, o negócio das lojas de penhores. A actividade na China data do século V, mas em Macau ganhou força no século XXI, associada ao sector do jogo, e enfrenta, hoje, novos desafios com as incertezas que se avizinham em termos económicos.

 

No Business Daily o grande destaque vai para o sector da aviação. “Descolagem para o negócio dos jactos privados” é o grande título. A Companhia do Aeroporto Internacional de Macau abre um concurso público para um hangar de jactos privados. Ainda em foco na primeira página do jornal económico lê-se que há “luz verde” para o projecto do Studio City, no Cotai, e que o construtor do túnel da Ilha da Montanha tinha sido avisado dos perigos.

 

O Macau Post Daily escreve que “deputados instam Governo a atacar a questão do trabalho ilegal como um assunto de segurança pública e legal”. Na primeira do jornal destaque também para a sessão plenária de ontem e os esclarecimentos sobre o acidente no Túnel da Ilha da Montanha. “Autoridades tinham avisado construtor para parar a construção antes do colapso”, titula o matutino.

 

 Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

No South China Morning Post, em foco, a chegada dos atletas de Hong Kong que participaram nos Jogos Olímpicos de Londres, com destaque para a única medalhada, Lee Wai-sze, que foi recebida pelo secretário para os Assuntos Internos, Tsang Tak-sing. Em manchete, o jornal destaca, no entanto, o caso La Scala em Macau. A venda de terreno foi anulada depois do Tribunal de Última Instância ter dado como provado a intervenção do antigo secretário, Ao Man Long. A informação foi avançada à Bolsa de Hong Kong pela empresa responsável pelo projecto, Chinese Estates Holdings.

 

O jornal The Standard, apesar de ter toda a primeira página dedicada à publicidade, dá em destaque no topo de página ao grupo de activistas de Hong Kong que está a caminho das Ilhas Diao-Yu. O diário puxa ainda para chamada de capa o caso do homem mais procurado da China que, ontem, foi abatido pela polícia.

 

China Daily escreve “termina o reinado do atirador do medo”. O homem era procurado há oito anos e era suspeito de ter assassinado nove pessoas. Noutro tema em destaque, “responsável faz votos para que seja feita a promoção da democracia no Partido”.