Em destaque

25 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,0449 patacas e 1,1156 dólares norte-americanos.

 

Programa espacial chinês longe do russo e do norte-americano
Terça, 14/08/2012

A China está ainda longe de igualar a Rússia ou os Estados Unidos no espaço, diz o chefe da delegação da missão Shengzhou 9. Niu Hongguang sublinha que a China tem de acelerar o desenvolvimento da tecnologia espacial. “Ainda estamos muito distantes da tecnologia espacial da Rússia e dos EUA, que são dois países fortes nestas tecnologias. Na China, ainda não somos fortes neste sector mas, actualmente, estamos numa fase de progresso. Vamos fazer todos os possíveis para acelerar esse desenvolvimento”.

 

Um desenvolvimento que, para Niu Hongguang, tem de ser único. O também vice-comandante do programa espacial tripulado da China acredita que só através de um caminho inovador, o programa espacial chinês pode ultrapassar o russo e o norte-americano. “Temos de ser inovadores, criar o nosso próprio modelo e, assim, creio que podemos ultrapassar estes países”.

 

Niu Hongguang admite, no entanto, que este objectivo é difícil de alcançar. “Temos uma diferença de 40 anos em relação aos EUA (...) Eles já chegaram a Marte e nós ainda nem fomos à lua”.

 

O vice-chefe da Delegação a Macau da Missão de Acoplagem da Cápsula Tripulada Shengzhou 9 ao Módulo Tiangong 1 aproveitou a conferência de imprensa, desta manhã, para apelar ainda a uma cooperação internacional para o desenvolvimento do programa espacial chinês. Uma ajuda esperada, sobretudo, do lado europeu.