Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Sands China defende-se das acusações do Wall Street Journal
Segunda, 13/08/2012

A Sands China emitiu hoje um comunicado à Bolsa de Valores de Hong Kong para clarificar as notícias vindas a público na semana passada sobre investigações que estão a ser feitas pelas autoridades norte-americanas.

 

Na sexta-feira passada, o Wall Street Journal (WSJ) dizia que os negócios da operadora estavam a ser investigados – o jornal dos Estados Unidos da América explicava que os factos em questão não estão ligados à presença do império de Sheldon Adelson nos casinos de Macau, adiantando que as averiguações incidem na aquisição em Pequim de um escritório para o Centro Adelson (uma estrutura planeada para a Ilha da Montanha que não chegou a entrar em funcionamento), no financiamento de uma equipa de basquetebol em Shenzhen e nas operações dos jetfoils para Hong Kong.

 

A Sands China veio agora afirmar que quem está a ser investigada é a casa mãe, ou seja, a Las Vegas Sands. A empresa cotada em bolsa diz que só aparece citada nos documentos do Departamento de Justiça dos Estados Unidos por ser precisamente uma subsidiária da Las Vegas Sands.

 

Recorde-se que no mais recente artigo do WSJ sobre investigações aos negócios de Sheldon Adelson, nem o magnata do jogo, nem os executivos da operadora são tidos como suspeitos, mas sim um empresário da China Continental que terá sido contratado pela empresa para prestar serviços de consultadoria.