Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Escola Portuguesa: Notas “fracas” na segunda fase dos exames
Quarta, 01/08/2012

Não foram bem-sucedidos muitos dos alunos da Escola Portuguesa de Macau (EPM) que hoje ficaram a saber o resultado das notas dos exames nacionais de 11º e 12º anos. Houve muitas reprovações – com destaque para Matemática A, mas também em Física e Química.

 

“É um diapasão das notas nacionais, isto é, os resultados são fracos, especialmente nas disciplinas de Matemática”, resumiu à Rádio Macau Francisco Figueira, do Gabinete de Acesso ao Ensino Superior. “Há muitas negativas mas é preciso ver que nesta segunda fase só podiam concorrer aqueles que concorreram à primeira fase e reprovaram”, explicou o professor. “Também há muitos alunos que não são internos, repetiram o exame várias vezes.”

 

A Matemática A estavam inscritos 20 alunos, entre internos e externos: alguns faltaram, dois passaram e 14 reprovaram. A Física e Química não houve um único resultado acima de 10 nesta segunda fase. Já a Português os resultados foram melhores, com duas positivas e duas negativas em termos de notas finais de ano.

 

São dados a que EPM não está acostumada, salientou Francisco Figueira. “Estamos habituados a ter médias superiores às nacionais. De qualquer maneira, este é o espelho daquilo que se passou nas notas de Portugal”, ressalvou.

 

Diogo foi dos poucos alunos que hoje saiu do átrio da escola com razões para festejar. Passou a Português com 10,1, depois de ter tido menos um ponto na primeira fase. Vai agora inscrever-se na Universidade de Macau, no curso de Direito. “Acho que o exame da segunda fase era mais fácil – para mim foi”, disse. Para os alunos finalistas do ensino secundário que não conseguiram passar, resta agora esperar pelo ano que vem.