Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Revista de Imprensa de Macau e Hong Kong (quarta-feira)
Quarta, 01/08/2012

A auditoria à gestão da participação de Macau na Expo Xangai ainda está em destaque na imprensa em chinês de Macau, tal como casos de droga. Nos jornais portugueses, também continua a dar que falar a auditoria ao gabinete responsável por mostrar Macau em Xangai, e outros temas em foco são as candidaturas à direcção do IPOR e a análise a um eventual aumento do limite salarial isento de impostos. Nos jornais ingleses locais, o imobiliário merece o maior destaque.

 

Jornais de Macau em língua chinesa

 

A auditoria à participação de Macau na Expo Xangai continua a dar que falar. No jornal Va Kio, destaque para as declarações de Francis Tam. O secretário para a Economia e Finanças diz que não há corrupção envolvida e que os Serviços de Finanças também vão pronunciar-se sobre este caso.

 

Ainda em foco a notícia de que duas pessoas foram condenadas por fabrico de droga,  num caso descoberto no ano passado: penas de 8 anos e meio e de 8 anos e nove meses de prisão. Neste caso, duas pessoas foram libertadas por insuficiência de provas.

 

Outro caso de polícia relacionado com droga: três detidos por tráfico de droga num edifício onde funciona uma esquadra da polícia.

 

Espaço, também, para as declarações de Lau Si Io sobre o acidente no túnel que faz a ligação ao Campus da Universidade de Macau na Ilha da Montanha. O secretário para os Transportes e Obras Públicas afirma que o empreiteiro da obra iniciou um relatório sobre o caso, que será divulgado ao público assim que for entregue ao Governo.

 

No jornal Ou Mun, o maior destaque vai para a pretensão de visitar Macau, ainda este mês, por parte dos três astronautas chineses, incluindo a primeira mulher chinesa que foi ao espaço, e que tiveram uma missão recente.

 

O Ou Mun tem ainda em foco uma declaração do general responsável pela Guarnição de Macau do Exército de Libertação Popular, afirmando que os militares têm como função principal manter a estabilidade de Macau.

 

Canal chinês da Rádio Macau

 

A cerimónia do hastear da bandeira na Guarnição de Macau do Exército de Libertação Popular, para assinalar os 85 anos da instituição, é uma das notícias desta manhã informativa da Ou Mun Tin Toi.

 

O canal da Rádio Macau em chinês destaca ainda Christiana Ieong: a ex-coordenadora do Gabinete Preparatório para a Participação de Macau na Exposição Mundial de Xangai diz que o relatório do Comissariado de Auditoria não mancha o trabalho da equipa que liderou.

 

Ainda em foco um pedido de Kwan Tsui Hang: numa interpelação escrita ao Governo, a deputada pede mais fiscalização às janelas dos edifícios altos.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

“Quinze na corrida à direcção do IPOR”, escreve o Jornal Tribuna de Macau na manchete. “Candidaturas estão a ser avaliadas pelo Instituto Camões”, que diz que o processo de análise deve “terminar o mais breve possível”.

 

O outro tema a merecer grande destaque nesta primeira página diz respeito ao plano de construção de habitação económica: “Deputados criticam excesso de T1 nas casas económicas”.

 

“Sands já foi notificada sobre inquérito mas recusa comentar transferência de dados”, lê-se noutro título desta primeira página, que tem ainda espaço para informar que “Concurso de fogo-de-artifício arranca a 8 de Setembro.”

 

O Hoje Macau dá o maior destaque da edição desta quarta-feira a Christiana Ieong, ex-coordenadora do Gabinete para a Participação de Macau na Expo Xangai, que fala sobre o relatório do Comissariado de Auditoria: “A minha missão era ter tudo feito a tempo”, diz ao jornal, recusando “qualquer responsabilidade nos erros de gestão apontados pelo relatório.”

 

Em foco, ainda, Godinho Lopes, presidente do clube de futebol Sporting Club de Portugal, afirmando que o “Sporting de Macau deve propor soluções” sobre o futebol na RAEM.

 

“Gesto pouco eficaz”, é o título principal da primeira página do Ponto Final. “A Associação Geral de Operários propôs o aumento do limite salarial isento de impostos, tendo o Chefe do Executivo mostrado abertura para a ideia. Mas isso seria um mero ‘gesto político’, sem benefícios reais para o poder de compra dos grupos mais desfavorecidos, alertam especialistas” ouvidos pelo jornal.

 

Nesta primeira página surge, ainda, em grande plano, um ‘cocktail’, a imagem que ilustra um destaque sobre Bruno Santos, que “lidera uma empresa de consutoria, formação e bar ‘catering’”, sendo ainda presidente da União de Bartenders, pretendendo “unir os bares de Macau em torno do objectivo de pôr a cidade no mapa dos cocktails aficionados”.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

“Os preços das propriedades vão continuar com a tendência de subida devido à falta de oferta”, diz o Macau Daily Times na manchete. A empresa do sector imobiliário Jones Lang LaSalle mostra-se confiante nas perspectivas para o futuro do mercado de Macau.

 

“Mais de 210 mil veículos, acidentes de tráfego aumentam”, diz ainda outro título e, nesta primeira página, espaço, também, para uma pergunta: “Na era Obama, terão as relações raciais melhorado?” Um destaque para a situação nos Estados Unidos da América.

 

No título principal do Macau Business Daily lê-se que os preços dos espaços de luxo comerciais aumentam exponencialmente – referência para os resultados semestrais da empresa Jones Lang LaSalle. Na primeira metade do ano, a empresa diz que o valor dos espaços comerciais mais bem localizados aumentou 60 por cento.

 

No outro grande destaque desta edição, o Bussiness Daily fala numa perspectiva ensombrada para as receitas do jogo em Julho devido à passagem do tufão Vicente, o pior numa década. Escreve o jornal que a tempestade veio numa má altura, lembrando que a economia de Macau já sentia os efeitos do abrandamento da economia chinesa.

 

Sobre tufões, o jornal puxa ainda para a primeira o pedido de um deputado para que sejam instituídas regras mais claras sobre se é obrigatório trabalhar com sinal oito ou superior.

 

Outro tema destacado pelo Business Daily são as exportações que, em Macau, tiveram um crescimento consecutivo de cinco meses, enquanto que, na primeira metade do ano, as reexportações mais do que duplicaram o valor as exportações.

 

Quanto ao Macau Post Daily Independent, a primeira página é dominada pela notícia de que três pessoas foram detidas por venderam droga num apartamento localizado por cima de uma esquadra da polícia.

 

Outro título em foco nesta edição: o gerente da concessionária de autocarros TCM está confiante no aumento dos apoios do Governo às três empresas que operam o serviço público de transportes. Trata-se de um pedido para que, no final do ano, o Executivo aumente em 23,3 por cento os apoios concedidos às três empresas do sector.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

O South China Morning Post dá hoje o maior destaque à notícia de que a proibição de mulheres da China darem à luz em Hong Kong vai deixar o território com menos trabalhadores. São os efeitos da medida na população activa de Hong Kong no longo prazo, de acordo com as projecções do Departamento de Estatística e Censos.

 

Ainda em grande foco um gangue de Hong Kong implicado numa grande apreensão de droga em Sydney. Quatros residentes do território vizinho entre os detidos de uma operação na Austrália que resultou na apreensão de droga avaliada em quatro mil milhões de dólares de Hong Kong.

 

Tal como o South China Morning Post, também o jornal The Standard faz manchete com as projecções para a população de Hong Kong: “Dias cinzentos avizinham-se”, dizem as parangonas. “A taxa de natalidade está a cair e um terço da população vai reformar-se” em 2041, altura em que estima-se que o território terá 8 milhões e 470 mil habitantes, mais 19 por cento do que actualmente.

 

Ainda em foco os 219 candidatos que procuram ocupar os 35 assentos no Conselho Legislativo. Serão as eleições mais concorridas de sempre em Hong Kong.

 

O China Daily, o jornal oficial chinês em língua chinesa, dá o maior destaque aos militares chineses que “afastam os receios de uma guerra” devido à disputa territorial em que estão em causa ilhas no Mar do Sul da China. “Pequim espera que as negociações resolvam a contenda, consideram especialistas” ouvidos pelo jornal.

 

Ao lado, uma fotografia de pescadores da província de Fujian a colocarem embarcações em segurança, ajudados por guardas costeiros, numa altura em que a região se prepara para receber a tempestade tropical Saola, prevista atingir a costa amanhã ou sexta-feira.

 

Ainda um destaque para a mensagem saída da reunião de ontem do Comité Político do Partido Comunista Chinês: “O crescimento continua a ser a prioridade”.