Em destaque

19 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.16 patacas e 1.12 dólares norte-americanos.

Revista de Imprensa de Macau e Hong Kong (terça-feira)
Terça, 31/07/2012

 

A auditoria à gestão financeira da participação de Macau na Exposição Universal de Xangai domina tanto a imprensa chinesa como portuguesa, tal como a notícia de que Chui Sai On prometeu ponderar sobre a proposta dos Operários de que sejam distribuídos mais cheques pela população no final do ano.

 

Jornais de Macau em língua chinesa

 

O jornal Va Kio destaca na edição de hoje que a Federação das Associações de Operários de Macau propôs ao Chefe do Executivo um segundo plano de comparticipação pecuniária para este ano, de forma a que os residentes possam “aliviar a amargura da inflação”. Sobre esta notícia, o jornal acrescenta que Chui Sai On respondeu de forma positiva ao apelo dos Operários, dizendo que vai ponderar.

 

Outra matéria na primeira do Va Kio: já há um suspeito no caso de homicídio de uma mulher sino-japonesa que apareceu morta, este mês, num apartamento da Taipa – a PJ já entrou em contacto com as autoridades nipónicas.

 

O jornal Ou Mun tem na manchete que o Comissariado de Auditoria acusa de deficiente a gestão financeira do Gabinete Preparatório para a Participação de Macau na Exposição Mundial de Shanghai – falta explicar 34 milhões de bens móveis registados no inventário.

 

Em destaque na primeira do OU Mun estão também os Jogos Olímpicos e a primeira medalha de ouro para a China no programa masculino de saltos para a água, com dois atletas a vencerem os saltos sincronizados da plataforma de 10 metros.

 

Canal chinês da Rádio Macau

 

Quanto ao canal da Rádio Macau em Chinês, a Ou Mun Tin Toi, há uma notícia sobre a actualidade local em destaque nesta manhã informativa: “As autoridades detiveram 31 trabalhadores ilegais em Junho”.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

“Gabinete de Dados Pessoais abre investigação à Sands”, lê-se na manchete do Jornal Tribuna de Macau. “Organismo revela ao JTM que não autorizou transferência de documentos de Jacobs”.

 

O outro tema em grande foco nesta primeira página é o relatório de auditoria à participação de Macau na Expo de Xangai: “Comissariado de Auditoria chumba contas da RAEM na Expo de Xangai”.

 

Noutros títulos, o jornal informa: “Operários em encontro com Chefe para pedir segunda ronda de cheques”; “Menos adultos viciados no jogo, indica estudo entregue ao Governo”, e “Pelé acredita que pena de irradiação pode ser levantada pela AFM”.

 

Nesta edição, espaço ainda para uma notícia onde se lê que “Residentes aumentaram investimento em títulos”.

 

No Hoje Macau, as parangonas fazem-se com a auditoria ao Gabinete que preparou a participação de Macau na Expo Xangai: “De orelhas a arder”, escreve o jornal, ilustrando a notícia com uma imagem do pavilhão de Macau, o célebre “coelhinho”, envolvido em chamas. “Comissariado de Auditoria arrasa gestão financeira da presença de Macau na Expo Xangai”, lê-se no antetítulo.

 

Outras chamadas à primeira página: “Governo receptivo a doar mais cheques pecuniários”; “Habitação económica de T1 pode vir a ser para alugar”, e “Viciados em jogo são menos de metade desde 2007”.

 

“Incineradora contesta multa”, é a manchete do Ponto Final. “A concessionária da queima de resíduos na central de Pac On recusa pagar a multa de 87.500 patacas pela emissão excessiva de metais pesados e dioxinas, responsabilizando o Governo pelo incidente. O caso está em tribunal.”

 

A dividir as atenções na primeira página, ainda a garantia do secretário para a Economia e Finanças, Francis Tam, de que “Não recebemos pedidos de mesas”. É a reacção do Governo “à alegada promessa de mais 400 mesas de jogo referida por Sheldon Adelson.”

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

O Macau Daily Times tem hoje uma primeira página dominada pela auditoria às contas do Gabinete Preparatório para a Participação de Macau na Exposição Mundial de Xangai: “Relatório ataca gestão financeira do gabinete”, lê-se na manchete.

 

Há mais dois títulos chamados à primeira do Macau Daily Times: “Chefe do Executivo ‘aberto’ a distribuição de cheques no final do ano”, dizem asssociações”, e um destaque, em jeito de resumo do terceiro dia de Jogos Olímpicos londrinos: “Phelps, remadores e tráfego”.

 

A auditoria ao gabinete que preparou a participação de Macau na Expo de Xangai também merece chamada à primeira no Macau Business Daily: “Orçamento pouco científico arrasado”, escreve o jornal que, para manchete, no entanto, puxa pela notícia de que os “investidores de Macau procuram porto de abrigo no mercado de valores mobiliários de Hong Kong”, uma referência a um relatório elaborado pela Autoridade Monetária de Macau em conjunto com a Direcção dos Serviços de Estatística e Censos.

 

Noutro título, destaque para a habitação económica em Seac Pai Van: Apartamentos T1 por vender parecem dar razão aos deputados que criticaram o número excessivo de fracções daquele tipo.

 

Em foco, ainda, a esperança de um empresário sobre o investimento no mercado de futuros de vinho na Europa – trata-se da empresa Kenneth Wine Cellar que permite, através do Banco da China, em Macau, que os residentes locais possam investir em vinhos que serão depois postos à venda.

 

Espaço, por fim, para a boa classificação dos hotéis de baixo custo em Macau, um sector que tem beneficiado de uma maior procura, de acordo com a empresa Cheng Lio Group, que se prepara para abrir o segundo projecto no território, desta vez na Taipa.

 

Finalmente, no Macau Post Daily Independent o título principal diz que há residentes que querem que o Governo “resolva os perigos que espreitam na Ilha Verde”. Alerta lançado depois de um incêndio num baldio na zona, no início do mês, ter despertado a preocupação da população sobre questões de segurança e de saúde.

 

Na primeira do Macau Post há ainda espaço para dois casos de polícia: “Casal da China queixa-se de ter sido atacado com um ‘líquido não identificado’, e “PJ pede ajuda às autoridades japonesas para apanhar suspeito de homicídio de uma mulher na Taipa”.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

O South China Morning Post destaca na manchete o pedido de desculpas feito ontem pelo CEO do HSBC, o banco implicado num escândalo de lavagem de dinheiro de cartéis de droga mexicanos. No título lê-se que o banco pede desculpas por “erros vergonhosos”.

 

Ao lado deste título, uma fotografia com uma atleta chinesa naturalizada cazaque em grande plano. Zhao Changling venceu o ouro no halterofilismo nos Olímpicos de Londres e diz que, se náo tivesse optado pela nacionalidade do Cazaquistão, não teria lugar na equipa olímpica chinesa.

 

Ainda sobre os Jogos Olímpicos, o jornal The Standard destaca Angel Wong, ginasta de Hong Kong a competir na capital inglesa. A atleta não venceu qualquer medalha, mas tem esperanças de que uma manobra de ginástica que apresentou em Londres venha a ser baptizada com o nome da atleta.

 

A polémica em torno do plano do governo de Hong Kong introduzir a disciplina de edicação nacional continua a ser notícia. O jornal The Standard destaca a garantia de CY Leung: diz o Chefe do Executivo que o programa da disciplina vai ser disponibilizado “online” para que a população possa julgar por si que não se trata de lavagem ao cérebro.

 

O China Daily tem hoje em foco as declarações de Jeffrey Schaffer, vice-presidente para a área da comunicação da Lenovo: aconselha as empresas chinesas a pensarem em termos locais para depois alcançarem o resto do mundo.

 

Ao lado, uma referência para os Jogos Olímpicos e o título: “Prata e bronze também são douradas”. Atletas chineses “merecem apoio independentemente da conquista de medalhas, dizem os adeptos do desporto.