Em destaque

13 de Dezembro de 2017: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.5148 patacas e 1.1755 dólares norte-americanos.

CCAC: Caso de burla no Hospital Conde de S. Januário
Quarta, 25/07/2012

Um enfermeiro do Centro Hospitalar Conde de S. Januário é acusado de falsificação de notação técnica e de burla. Segundo uma nota do Comissariado contra a Corrupção (CCAC), os actos terão sido praticados entre Janeiro de 2011 e Maio deste ano. O homem terá usado as lacunas no sistema para pedir horas extraordinárias.

 

De acordo com o comunicado, o enfermeiro manteria aberto o sistema de registo de pacientes, prolongando o registo do tempo de consulta para fazer crer que estava ainda em serviço. O objectivo seria obter indevidamente o acréscimo de remuneração pela prestação de horas extraordinárias.

 

A investigação do CCAC, segundo a nota, detectou que, em alguns dias, o sistema do registo clínico electrónico dos pacientes esteve ligado durante mais de quatro horas, período que quase ultrapassou o tempo dos serviços de consulta prestados pelo médico nos dias em causa. Houve ainda situações em que os pacientes, apesar de ausentes do território, se encontravam ainda em consulta médica segundo o sistema do registo clínico electrónico.

 

Os actos foram já confessados pelo enfermeiro, diz o CCAC.

 

O Comissariado contra a Corrupção afirma que vai continuar as investigações para verificar se há outros funcionários envolvidos neste caso ou em infracções semelhantes.

 

O CCAC já comunicou o caso aos Serviços de Saúde e apela a que sejam tomadas as devidas medidas para eliminar os factores que conduzem a actos de corrupção.