Em destaque

22 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.20 patacas e 1.13 dólares norte-americanos.

Árvores e vedações no chão na Taipa e em Coloane
Terça, 24/07/2012

São visíveis os efeitos da passagem do tufão Vicente por todo o território. Numa passagem pelas ilhas, percebe-se que a marginal da Taipa não resistiu – o tufão tombou dezenas de árvores, sendo que algumas ficaram com as raízes agarradas ao chão. O COTAi apresenta um cenário semelhante, onde algumas árvores de grande envergadura também não aguentaram de pé. Mas na strip de jogo de Macau o tufão estragou também muitas vedações: para o chão foi a chapa das obras do túnel na rotunda da strip e os tapumes de terrenos que ainda estão por aproveitar.

 

À entrada de Coloane, as obras de Seac Pai Van obrigam a virar à esquerda. Na maior ilha do território, quase não se via gente ao final desta manhã: quem andava à chuva estava de pá e vassoura a tentar limpar uma zona do território que ficou com as estradas cobertas de um manto de lama e de muitas folhas, com ramos caídos no chão.

 

Na praia de Hac Sac o tufão soprou menos forte do que em Cheoc Van. A parte de baixo do parque de estacionamento, a que se encontra mais perto do mar, ficou totalmente coberta de areia – sobrou um carro estacionado, com as rodas enterradas. Na pousada, limpavam-se cacos de vasos partidos e lixo que o vento levou. Não foi uma noite boa para o negócio, contou Lin, que trabalha na recepção do hotel. “Foi difícil encontrar táxi para os nossos hóspedes, porque tivemos uma festa na noite passada. Algumas das vedações foram arrastadas, porque o vento era muito forte”, relatou.  

 

A vila de Coloane era hoje um sítio sem turistas mas, ainda assim, em melhor estado do que a praia – a excepção eram as ruas desprotegidas, onde o tufão se fez sentir com mais intensidade. Uma árvore caiu junto ao campo de futebol e, para passar de carro, só galgando o passeio.