Em destaque

13 de Dezembro de 2017: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.5148 patacas e 1.1755 dólares norte-americanos.

Motociclos com limite de 60km/h no corredor da Ponte Sai Van
Segunda, 23/07/2012

A faixa da Ponte Sai Van destinada a motociclos entra em funcionamento a 19 de Agosto. A velocidade máxima neste corredor, aberto a título experimental, vai ser de 60 quilómetros por hora. Estão previstas multas de 600 patacas para os infractores.

 

De acordo com o chefe do departamento de Planeamento e Desenvolvimento de Tráfego, a Direcção dos Serviços para os Assuntos de Tráfego contabiliza actualmente 35 pontos de detecção de excesso de velocidade. Mas, no próximo ano, vão surgir mais nas vias do território e também mais câmaras para verificar se há veículos a passar sinais vermelhos nos cruzamentos.

 

Questionado em relação aos locais onde podem surgir os novos radares de velocidade, Kuong Wai Cheok referiu-se às vias mais rápidas e largas, como a Estrada de Pac-On em Coloane e a Avenida da Amizade, entre outras.

 

Durante a conferência de imprensa que serviu para apresentar o corredor para motociclos na Ponte Sai Van, o subcomissário do Departamento de Trânsito da PSP divulgou dados estatísticos relativos ao primeiro semestre deste ano. Entre Janeiro e Junho, verificaram-se 7160 acidentes, com seis vítimas mortais e 2112 pessoas a precisarem de receber tratamento hospitalar.

 

Ma Chio Hong indicou que foram registadas mais de 150 mil multas por estacionamento ilegal. Quanto aos parquímetros sem moedas, foram detectados 53.800 casos.

 

Registaram-se ainda 1900 infracções por desrespeito a sinais de trânsito. Ainda nos primeiros seis meses do ano, foram passadas mais de 1200 multas por falta de documentação dos veículos.

 

Relativamente às pontes, é a da Amizade que regista maiores problemas, com 213 acidentes registados, sendo que um deles causou uma morte. Na Ponte Sai Van, onde agora se tomam medidas em relação aos motociclos, verificaram-se no primeiro semestre 57 acidentes. Já na Ponte Nobre de Carvalho, reservada a táxis e autocarros, não foi registado qualquer sinistro.