Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Revista de Imprensa de Macau e Hong Kong (Quinta-feira)
Quinta, 19/07/2012

Os jornais de Macau colocam em grande plano a Macau Cable TV que conseguiu novo crédito e promete continuar a lutar judicialmente contra os anteneiros. Também em foco, nos jornais em língua portuguesa, o défice de 700 docentes no ensino não superior. O canal chinês da Rádio Macau noticia novo caso de alegado homicídio. Em Hong Kong, os jornais em língua inglesa trazem diferentes temas para a manchete, que passam pela eleição para o Conselho Legislativo de Hong Kong e pelo preço das casas na China.

 

Jornais de Macau em língua chinesa

 

O Ou Mun dá destaque à CEM. Um assessor da companhia de electricidade anunciou que, em Julho, o recorde do consumo de electricidade já foi batido três vezes. Na primeira página ainda a notícia de um acidente na Fortaleza do Monte: um turista caiu e ficou com graves lesões no pescoço. Em foco também um outro acidente, desta feita, de um táxi amarelo que chocou contra um poste de iluminação, provocando concussões numa passageira grávida. Ainda uma chamada de primeira página para a Polícia Judiciária, que desvendou dois casos de tráfico de droga e deteve três indivíduos.

 

No Va Kio, espaço para o Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais, que pede desculpa à imprensa local, um dia depois de um fiscal do instituto ter impedido um jornalista de recolher imagens. O jornal destaca ainda que “10 dias de vida militar beneficiaram bastante os jovens residentes”. Ontem realizou-se a cerimónia de encerramento de uma formação a 147 jovens pela Guarnição em Macau do Exército de Libertação do Povo Chinês. O jornal assinala também a queda de um turista na Fortaleza do Monte. Em foco está ainda a cerimónia de encerramento do acampamento inserido no intercâmbio de Verão entre alunos de Pequim, Hong Kong e de Macau.

 

Canal chinês da Rádio Macau

 

Nesta manhã informativa, a Ou Mun Tin Toi está a noticiar que foi encontrado esta madrugada um cadáver num apartamento na Taipa. A Polícia Judiciária suspeita tratar-se de mais um caso de homicídio.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

O Macau Daily Times puxa para manchete a Macau Cable TV. A empresa “insiste em processos judiciais” contra o Governo e os anteneiros. Em destaque fotográfico, Sheldon Adelson, que pondera também avançar com processos judiciais: o patrão da Las Vegas Sands luta contra democratas norte-americanos a propósito de uma alegada doação de dinheiro aos republicanos que terá resultado de prostituição. Em chamada de capa, o jornal foca que houve uma quebra na confiança dos consumidores de Macau.

 

O Business Daily coloca também em grande plano a Macau Cable TV. Lê-se na manchete “mil milhões para ataque aéreo à Ilha da Montanha”. O económico sublinha que a empresa vai gastar parte do crédito de mil milhões de dólares de Hong Kong na expansão dos serviços ao novo campus da Universidade de Macau. Noutro título, o diário diz que o Venetian Cotai só vai pagar 900 mil patacas pelo atraso nas obras do lote 3. Ainda em chamada de capa a TCM: a companhia de autocarros públicos anuncia perdas de “23,2 milhões de patacas” desde o início do novo contrato de concessão, em Agosto do ano passado.

 

O Macau Post Daily destaca igualmente a Macau Cable TV, que “promete processar o Governo e consegue crédito de mil milhões”. A empresa está determinada a lutar pela renovação da concessão dos serviços. Na capa do Post, ainda espaço para o acidente na Fortaleza do Monte que envolveu um turista de 51 anos de Hong Kong – sofreu sérias lesões no pescoço mas ontem à noite o seu estado de saúde era estável.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

O Hoje Macau escreve na manchete “Melo drama”. O diário dedica quase toda a primeira página à história de Luís Melo, o outro advogado da RAEM na reportagem que envolve Leonel Alves. Lê-se que os emails vindos a público na investigação norte-americana “podiam ser argumento de um filme”, mas “heróis e finais felizes só mesmo em Hollywood”. Ainda em chamada de capa a Macau Cable TV que “quer novo contrato com o Governo”, apesar da guerra com os anteneiros.

 

O Ponto Final diz que deputados analisam contas públicas. A execução orçamental deste ano vai ser explicada na Assembleia Legislativa pelo secretário para a Economia e Finanças, no início do próximo mês. É a primeira vez que Francis Tam explica o mapa das contas públicas a meio do ano. Na fotografia, “horas extra salvam falta de professores”. O próximo ano lectivo volta a arrancar com professores a menos. Macau precisa de mais 700 docentes para o ensino não superior.

 

O Jornal Tribuna de Macau também faz o destaque fotográfico com os “700 docentes em falta nas escolas de Macau”. O diário sublinha que a própria Direcção dos Serviços de Educação e Juventude reconhece não ser “viável” atrair esse número de docentes. Só daqui a três ou quatro anos se poderá dar uma resposta à procura do mercado. Na manchete, a CEO da Macau Cable TV: Angela Lam não vai desistir de processos judiciais e critica a falta de vontade do Governo para resolver diferendo com anteneiros. Ainda em chamada de capa a TCM que se queixa de lucros que ascenderam “apenas” a 660 mil patacas em 2011.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

O South China Morning Post destaca que “votos dos mais velhos podem atingir candidatos democratas”. Uma subida de 50 por cento no número de idosos registados para votar nas eleições para o Conselho Legislativo e, por outro lado, a descida dos votantes entre os 30 e os 40 anos podem beneficiar os grupos tradicionais. Na capa deste diário ainda espaço para a Síria: “Bomba mata oficiais de topo”. O cunhado do Presidente Bashar al-Assad foi uma das três vítimas do ataque dos rebeldes, no coração da capital Damasco.

 

O China Daily diz que “os preços das casas recuperam na China”. Um relatório do Departamento Nacional de Estatísticas indica que as 25 maiores cidades chinesas assistiram a uma retoma, em Junho, dos preços de projectos imobiliários. Das 70 cidades visadas, em 21 registou-se uma descida mensal nas novas casas e em outras 24 verificaram-se pequenas mudanças. O diário destaca ainda que a Organização Mundial de Saúde apela à China para taxar fumadores. A organização entende que o imposto sobre o tabaco tem de ser aumentada para combater vício.

 

O Standard denuncia que “aliado de C.Y. Leung fecha negócio de terreno principal”. Empresa de Henry Cheng “vai pagar prémio chorudo” para desenvolver um dos maiores terrenos com fins residenciais que ainda sobram em Hong Kong.