Em destaque

14 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.1522 patacas e 1.1278 dólares norte-americanos.

Quem é Ng Lap Seng, o "contacto" de Alves segundo Jacobs
Quarta, 18/07/2012

Leonel Alves não confirma nem desmente, mas o nome de Ng Lap Seng aparece no artigo da Universidade da Califórnia como o do empresário que alegadamente se disponibilizou para tentar resolver os problemas da Sands – o conflito com uma empresa de Taiwan e o impasse nos apartamentos do Four Seasons –  mediante o pagamento de 300 mil dólares americanos.

 

O artigo da Universidade da Califórnia fala num e-mail de Steve Jacobs, em que o antigo director executivo da Sands China se referia a Ng Lap Seng como o “contacto de Leonel em Pequim”.

 

Ng Lap Seng é membro de Macau na Conferência Consultiva Política do Povo Chinês e membro do Conselho para o Desenvolvimento Económico, integrando ainda a Comissão Eleitoral do Chefe do Executivo.

 

Com vários projectos na área do imobiliário, Ng Lap Seng é accionista do empreendimento do fecho da baía da Praia Grande e está ligado também ao Hotel Fortuna.

 

Durante anos foi o responsável pelo projecto Feira de Macau, um conjunto de pavilhões na zona onde hoje está construído o hotel-casino Wynn. No início da era RAEM, foi accionista e membro do conselho de administração da TDM. Foi Ng Lap Seng que assumiu na TDM a posição accionista que, até Dezembro de 1999, pertencia a Edmund Ho.

 

Ficou também conhecido durante a campanha para a reeleição de Bill Clinton na presidência americana, em 1996, devido a um escândalo sobre alegadas doações ilegais de dinheiro. Em 1998, uma investigação do Senado norte-americano concluía que, nos três anos que antecederam as eleições, Ng Lap Seng tinha transferido um milhão de dólares para um empresário da terra natal de Clinton, sendo que 220 mil dólares foram depois doados ao comité nacional democrático, para a campanha.

 

Ng Lap Seng nunca foi formalmente acusado, mas o certo é que há uma fotografia do empresário a apertar a mão a Bill Clinton, uma imagem que causou algum embaraço ao candidato. Na altura, uma pessoa que trabalhava perto do empresário em Macau e em Hong Kong descrevia-o como sendo alguém de origens humildes, com um baixo grau de instrução, que não dominava muitos aspectos dos negócios que tinha e que várias vezes abandonava reuniões furioso.