Em destaque

26 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.0301 patacas e 1.1139 dólares norte-americanos.

Revista de Imprensa de Macau e Hong Kong (Terça-feira)
Terça, 17/07/2012

Os jornais de Macau trazem em grande plano o regresso das leis eleitorais à Assembleia Legislativa e as conversações em Pequim sobre a nova fronteira 24 horas. O sim oficial das autoridades chinesas está iminente. Já os diários de língua inglesa de Hong Kong destacam C.Y. Leung. O Chefe do Executivo foi pela primeira vez ao Conselho Legislativo e teve de lidar com a fúria de vários deputados.   

 

Jornais de Macau em língua chinesa

 

O Va Kio escreve que “bomba” causou falsas surpresas à porta de Venetian Resort. Afinal os dispositivos suspeitos eram cabos e um pequeno sistema sonoro. Na capa, destaque ainda para a nova fronteira, que só espera a aprovação final das autoridades de Pequim.

 

O Ou Mun diz que “vendilhões e donos da loja tecem elogios à via pedonal na Rua de Emenda”. Ainda nesta rua, um proprietário de loja de carne congelada está a braços com as autoridades depois de alegadamente ter rejeitado ordens para retirar produtos. Neste diário, também referência à nova fronteira Macau-Guangdong; construção vai começar depois da aprovação oficial das autoridades de Pequim. O susto no Venetian merece uma chamada de primeira página: “uma mala suspeita foi detectada à porta do Venetian pelas 23.30 horas. Espaço ainda para o caso de um condutor de táxi suspeito de sequestro, que trancou três passageiras; homem alega que parou só para arejar o capô mas o caso já foi encaminhado para o Ministério Público.

 

Canal chinês da Rádio Macau

 

Nesta manhã informativa, a Ou Mun Tin Toi, destaca que o deputado Ho Ion Sang solicita a revisão da lei de protecção ambiental.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

O Macau Daily Times destaca que “as leis eleitorais regressam à Assembleia Legislativa, com mais controvérsia”. Na fotografia, o arquitecto Carlos Marreiros, que numa entrevista ao jornal, diz que “Macau precisa de coragem, talento e capacidade empresarial”. Ainda chamada de primeira página para a Sands. A operadora consegue a extensão do prazo para o novo casino, mas paga multa.

 

Ora este tema faz a manchete do Business Daily. O económico escreve “autorizada segunda extensão no prazo da sands no Cotai”, um prazo que é estendido pela segunda vez. A Sands tem agora até Abril de 2016 para concluir a construção. O jornal destaca ainda as propostas de alteração às leis eleitorais, que foram aprovadas na generalidade, na Assembleia Legislativa, apesar dos votos contra dos três deputados da Associação Novo Macau e de Pereira Coutinho. Noutro título, lê-se “Pequim positiva sobre fronteira 24 horas”. O plano detalhado, que inclui o calendário e o orçamento, vai ser definido assim que Pequim aprove oficialmente o projecto.

 

O Macau Post coloca também em grande plano a extensão de três anos concedida pelo Governo à sands, para a construção da parcela três. Noutro título, o Venetian. A propriedade da Sands ficou em sobressalto, na noite de ontem, por causa de um objecto que aparentava ser uma bomba.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

O Ponto Final escreve em manchete “Florinda negoceia sufrágio indirecto”. A alteração da lei eleitoral para a Assembleia Legislativa passou com quatro votos contra de Pereira Coutinho e dos três deputados da Novo Macau. Mas há uma cedência anunciada na distribuição dos mandatos por via indirecta, com Florinda Chan a dizer que a posição do Executivo é de “abertura”. Em destaque fotográfico a lei que regula a frequência e o trabalho em casinos que vai impor os 21 como limite mínimo de idade.

 

No Jornal Tribuna de Macau também a Assembleia. Deputados dizem que “avanços e recuos descredibilizam Governo”. Na fotografia, “herança portuguesa inspira designer local”. Miquelina M. Hoi tem colecção repleta de padrões de azulejos portugueses. Na primeira do JTM destaque ainda para as receitas do jogo em Las Vegas, que cairam 18 por cento em Maio, face ao mesmo mês de 2011.

 

O Hoje Macau titula “4 mil milhões sem fiscalização”, dando destaque à declaração de Au Kam San que diz que Fundação Macau é um “clube privado ensopado de erário público”. Ainda chamada de primeira página para Sou Chio Fai. Coordenador do Gabinete de Apoio ao Ensino Superior considera que instituição faz bem em desistir de ser universidade e manter-se politécnico. Outra chamada de capa diz que especialista garante que ruído do metro será inaudível.  

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

O South China Morning Post destaca a primeira sessão de C.Y Leung no Conselho Legislativo: ”C.Y oferece 7 mil milhões de rebuçados”, mas falha em afastar as críticas de deputados irritados com as estruturas ilegais, que foram descobertas na sua casa. Na capa também espaço para a Coreia do Norte, mais propriamente, para o afastamento do chefe do Exército, que foi mentor de Kim Jong-un, de todas as funções.

 

O China Daily dá relevo ao “retorno do fundo do oceano”. Na primeira página, a história do submarino Jiaolong que chegou em glória de uma missão de seis meses. O submarino atingiu um recorde de profundidade, dando à China a capacidade técnica para explorar 99 por cento do fundo do oceano. Assim que chegou a Qingdao, o submarino já tem nova missão marcada para para Abril ou Maio do próximo ano. O diário destaca ainda que “crescimento dos salários vacila com abrandamento económico”; uma situação que deve prolongar-se este ano e que está a preocupar os analistas chineses.

 

O Standard também traz C.Y. Leung em grande plano. Lê-se “C.Y. duplica dinheiro da ‘fruta’”. Mais de 400 mil idosos devem ver aumentado o subsídio de velhice para 2.200 Hong Kong dólares por mês. Esta é uma das medidas anunciadas pelo novo Chefe do Executivo durante o seu primeiro debate no Conselho Legislativo.