Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Alves: Jacobs “orquestrou cenário para denegrir” a Sands
Sábado, 14/07/2012

Leonel Alves acusa Steve Jacobs, o ex administrador executivo da Sands China, de ter orquestrado um cenário para denegrir a operadora do jogo. É uma guerra que vai além de Macau, considera o advogado, convidado desta semana do programa Rádio Macau Entrevista. “Não guardo nenhum rancor em relação à pessoa que citou [Steve Jacobs]. Acho que ele propositadamente orquestrou um cenário, envolvendo a minha pessoa, falseando a verdade, denegrindo a minha pessoa e também denegrindo a minha cliente, para atingir objectivos meramente pessoais.”

 

Leonel Alves acusa Steve Jacobs de usar “argumentações falaciosas”, através da imprensa norte-americana. Mas o advogado diz que não passa de uma pequena peça. “Sou, digamos, um peão no meio deste puzzle. Para ele e para os Estados Unidos destruir-me não tem significado nenhum.”

 

Leonel Alves entende que há quem esteja a utilizar Macau para guerras políticas. Quanto ao Wall Street Journal, o jornal que publicou o artigo em que se fala de uma proposta pouco lícita feita a Steve Jacobs, está a ser estudada a possibilidade de se avançar com um processo em tribunal. “Temos matéria mais do que suficiente para um procedimento judicial contra o jornal. Todavia, trata-se de uma outra jurisdição, preciso de contactar pessoas dessa outra jurisdição e saber dos seus custos”, explicou, referindo ainda que é uma tarefa “hercúlea” para um cidadão estrangeiro lutar contra um jornal, com grande influência e peso, nos Estados Unidos.

 

Quanto a Steve Jacobs, Leonel Alves explica ter formulado um pedido, “há mais de um ano”, junto das instâncias de Macau. “Todavia, entendeu esta instância judiciária de Macau que era preciso ver a conclusão do processo que está a ocorrer noutra jurisdição. Depois é que iria analisar a valia desta minha pretensão contra o ex-CEO”, refere.

 

Recorde-se que Steve Jacobs, despedido em 2010 da Sands China, alegou, no processo em tribunal nos Estados Unidos, que havia conflitos de interesses dentro da operadora, precisamente por causa de Leonel Alves – advogado da concessionária mas também membro do Conselho Executivo.

 

Sobre as várias funções que exerce, o também deputado recorda que não é membro do conselho de administração nem desempenha qualquer cargo na Sands China. “Eu e os meus colegas do escritório prestamos apenas serviços jurídicos”, vincou, acrescentando que todos os membros do Conselho Executivo, à excepção do Chefe do Executivo e da secretária para a Administração e Justiça, exercem actividades profissionais. E remata: “Se houver incompatibilidade por conflito de interesses, o regime já prevê uma solução – a declaração de impedimento”. No Conselho Executivo desde 2005, Leonel Alves esclarece que nunca sentiu necessidade de recorrer a este regime.