Em destaque

21 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.21 patacas e 1.13 dólares norte-americanos.

Exames: EPM com médias superiores às de Portugal
Quarta, 11/07/2012

A Escola Portuguesa de Macau (EPM) teve médias superiores às de Portugal nos exames de 12º ano. A excepção é Matemática – mas, mesmo neste caso, a diferença é de apenas uma décima.

 

No estabelecimento de ensino, as disciplinas da área científica são as mais procuradas. A média de Biologia e Geologia foi superior à de Portugal (12.4), e as notas de Física e Química também foram melhores, com uma média de 9.3.

 

Quanto a Matemática, foi de 10.3, uma décima abaixo do valor da média portuguesa. Num universo de 21 alunos internos, houve seis reprovações. Mas Manuel Machado, professor que integra o núcleo de apoio à direcção da EPM, destaca que se trata de números provisórios, porque ainda há a segunda fase, que começa na sexta-feira.

 

No Português, disciplina transversal a todas as áreas, os resultados obtidos foram melhores do que a média portuguesa. “Os alunos obtiveram uma média de 12 valores e a média nacional foi de 10.4.”

 

Juntando alunos de 11º e 12º, a taxa de reprovações nos exames é de 11 por cento – um número que, além de não ser definitivo, não significa, no caso dos alunos do 11º ano, que não passem de ano, uma vez que é possível deixar duas disciplinas por fazer.

 

Apesar dos resultados serem bons, basta que haja um aluno que fique para trás para a satisfação da escola não ser total. “O grau de satisfação não é tão elevado quanto poderia ser. Mas, no caso do secundário, a percentagem de reprovações e de insucesso não é alarmante, desde logo pelo que os dados ainda não são definitivos, os alunos ainda podem subir as médias”, afirma Manuel Machado.

 

No que toca aos outros níveis de ensino, no 6º ano a taxa de sucesso foi de 100 por cento a Português e de 87,1 por cento a Matemática. Todos os alunos passam para o 7º ano. No 9º ano, na língua portuguesa, 69,6 por cento dos estudantes tiveram nível igual ou superior a 3. Na Matemática, em 46 alunos, a taxa de sucesso foi de 73,9 por cento. Só dois estudantes é que vão ter de repetir o ano.