Em destaque

13 de Dezembro de 2017: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.5148 patacas e 1.1755 dólares norte-americanos.

Debate AL: Chuva de críticas sobre director da DSPA
Quinta, 05/07/2012

O director dos Serviços de Protecção Ambiental (DSPA) esteve sob fogo na Assembleia Legislativa. Houve um coro de críticas à inoperância dos serviços liderados por Cheong Sio Kei. Os deputados acusam a direcção de não definir medidas anti-poluição eficazes e de nem sequer cumprir o papel de fiscalização.

 

A tarde não foi fácil para Cheong Sio Kei. Pelo menos 10 deputados criticaram o caminho da direcção dos Serviços de Protecção Ambiental - criada em 2009. A discussão começou pelo problema da qualidade do ar, uma questão levantada numa interpelação oral de Vong Hin Fai e de Gabriel Tong sobre as medidas antipoluiçao previstas para os veículos e motociclos.

 

Mas depressa se multiplicaram as críticas e muitas delas foram directas ao director da DSPA, como a do deputado Lee Chong Cheng. “Parece que não há um rumo de orientação muito preciso (...) quais são as recomendações ou as políticas que vão ser prosseguidas no futuro?”. Lee Chong Cheng acredita que se não forem tomadas “medidas drásticas”, e “aperfeiçoada a legislação”, o problema da poluição “nunca mais vai ser resolvido”.

 

Já Pereira Coutinho apontou que nem mesmo a fiscalização é feita adequadamente. “Há um problema de fiscalização. Por mais campanhas de sensibilização que se façam ou leis que se produzam é preciso actuar senão nada disto surte algum efeito”.

 

O deputado Ho Ion Sang concorda com Coutinho. “Os Serviços de Protecção Ambiental não estão a cumprir as suas competências cabalmente”.

 

Na resposta aos deputados, o director da DSPA admitiu haver “alguns vazios”, quanto à poluição provocada pelos veículos e pelos motociclos, que podem ser colmatados. E deixou a garantia: “a melhoria da qualidade do ar é uma acção prioritária nossa”.

 

Cheong Sio Kei prometeu ainda, para 2015, aparelhos de monitorização dos gases poluentes nas estradas com maior movimento. O responsável lembrou, por outro lado, que há já um plano a 10 anos para a protecção ambiental e que foram, nos últimos tempos, apresentados planos a curto prazo para promoção dos veículos ecológicos, como a adopção da norma Euro IV.