Em destaque

13 de Dezembro de 2017: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.5148 patacas e 1.1755 dólares norte-americanos.

Revista de Imprensa de Macau e Hong Kong (Quinta-feira)
Quinta, 05/07/2012

Leonel Alves está em evidência nos jornais de Macau, por causa do julgamento do processo La Scala. A imprensa do território também dá ênfase às respostas dos governantes na Assembleia Legislativa, com especial destaque para o Fundo de Segurança Social e para a reforma da Administração Pública.

 

Jornais de Macau em língua chinesa

 

O Ou Mun destaca a medida do Governo de cortar a circulação aos veículos na Rua da Emenda, entre as 9 e as 21 horas. O corte é feito a partir do dia 16 deste mês e “peões e vendilhões elogiam” a ideia do Executivo. Na capa, uma chamada ainda para a notícia de um autocarro público que feriu uma criança na cabeça ao fechar a porta. O matutino divulga também que foi detido um suspeito de fogo posto no Jardim Man Lei, na Travessa do Calão. Segundo as autoridades policias, o homem não conseguiu explicar o facto de ter 10 facalhões em casa.

 

O Va Kio que traz em grande plano o debate na Assembleia Legislativa: ”Florinda Chan diz que resultados da sondagem mostram que a população está bastante satisfeita com os serviços administrativos”. O matutino diz ainda que o escritório de Leonel Alves aceitou fazer a defesa de Joseph Lau no caso La Scala. O jornal ressalva, no entanto, que Leonel Alves já prometeu manter a distância do processo, caso o Conselho Executivo aborde a questão dos cinco terrenos em frente ao aeroporto – o advogado é um dos membros do Conselho Executivo.

 

Canal chinês da Rádio Macau

 

Nesta manhã informativa, a Ou Mun Tin Toi tem dado destaque a um caso de burla em casino que, até agora, levou à detenção de 14 indivíduos, estando três deles em prisão preventiva.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

O Business Daily puxa pelas políticas para a habitação. Académico, ouvido pelo jornal, diz que a política de empréstimos a baixo custo para as famílias poucos rendimentos pode não ser efectiva, como se constatou pelo “sub-prime” imobiliário dos Estados Unidos. Ainda neste matutino, o debate na Assembleia Legislativa: “deputado defende injecção urgente de dinheiro no fundo de pensões”, através do aumento das contribuições pelos patrões e pelos empregados.

 

O tema do fundo de segurança social também faz a capa do Macau Daily Times: “contribuições mensais podem saltar de 45 para 440 patacas”. O destaque fotográfico vai para a cultura, com o Conselho para as Indústrias Criativas a propor fundo para alargar a indústria cultural local. Leonel Alves também aparece na capa, com uma chamada onde se lê que “vai ser advogado de defesa no caso La Scala”.

 

Esta notícia é mesmo a manchete do Macau Post. No entanto, o diário refere que Leonel Alves “promete manter a distância do julgamento”, apesar da sua firma ter aceitado representar o magnata Joseph Lau.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

O Ponto Final escreve na manchete “nervo social”; mais uma vez o Governo não conseguiu dizer aos deputados o valor do aumento das contribuições para o Fundo de Segurança Social. Na fotografia de capa está Rose Lai. A economista e investigadora afirma que “Governo Central está a comprar tempo” na questão da bolha imobiliária.

 

O Hoje Macau também reserva grande parte da primeira página para o debate na Assembleia Legislativa, destacando igualmente as contribuições para o Fundo de Segurança Social. A subida dos actuais valores deverá ficar estabelecida até 2013 mas ainda não está decidida a sua obrigatoriedade. O Hoje continua a dar ênfase à visita de Paulo Portas à China. O ministro português dos Negócios Estrangeiros ficou “agradado” com o “elogio” do vice-ministro chinês Li Keqiang “ao sacrifício económico de Portugal”.

 

O jornal Tribuna de Macau dá igualmente força à sessão plenária de ontem mas puxa pelas declarações da secretária para a Administração e Justiça. Florinda Chan “aprova Serviços Públicos mas deputados contestam” e pedem uma reforma da Administração. O destaque fotográfico no JTM vai para o fundo para as indústrias culturais, que é definido até ao final do ano.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

No South China Morning Post lê-se “inimigos unidos para proposta de lei de crime de auditoria”; a nova lei está prestes a passar com o apoio dos dois maiores partidos de Hong Kong. O diário destaca ainda outra “união”, desta vez “de académicos pelo fim da política do filho único” na China. Na fotografia aparece Bob Diamond, que testemunhou perante Comissão do Tesouro do Parlamento Britânico, depois do escândalo das taxas falsas no Barclays que levou o banqueiro a demitir-se, esta semana, do cargo de director executivo.

 

O China Daily foca a subida das acções do carvão combustível que tem gerado preocupação na China. Noutro título, declarações das autoridades chinesas no final do Fórum Tóquio-Pequim: “há condições favoráveis para acordo comercial entre o Japão e a China”.

 

Por fim, o Standard, que escreve no título “explicadores: uma questão de valor”; neste artigo, o jornal sublinha que “os pais asiáticos estão a gastar vários milhões de dólares com explicações privadas para os filhos”.