Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Revista de Imprensa de Macau e Hong Kong (Sexta-feira)
Sexta, 29/06/2012

Os jornais em língua chinesa de Macau destacam hoje a reivindicação das três operadoras de autocarros: TCM, Transmac e Reolian pedem ao Governo uma actualização das tarifas. A imprensa portuguesa dá espaço a questões como a atribuição da residência a portugueses, o julgamento do processo conexo ao de Ao Man Long e as confusões no Clube Náutico. Em Hong Kong, os jornais estão de olhos postos na equipa de C.Y. Leung, que toma posse no próximo domingo.

 

Jornais de Macau em língua chinesa

 

O Va Kio dá voz à nova reivindicação das três operadoras de autocarros de Macau, que querem uma actualização das tarifas. Os Serviços para os Assuntos de Tráfego já reagiram: dizem que só é possível pedir ao Governo a actualização dos preços cobrados aos clientes uma vez por ano. Com direito a fotografia, a inauguração do busto de Henry Fok, no Parque Natural da Taipa Grande. Chui Sai On e Florinda Chan marcaram presença na cerimónia.

 

Quanto ao Ou Mun, faz manchete também do pedido das operadoras de autocarros, que seguem o movimento levado a cabo pelas empresas de táxis – já a partir de 1 de Julho, a bandeirada passa a ser mais cara. O jornal aproveitou o tema para sondar os leitores acerca dos serviços prestados por TCM, Transmac e Reolian: conclui que a população não está satisfeita com a qualidade do trabalho das operadoras. Ainda na primeira página do Ou Mun, a notícia que dá conta da criação de um grupo de trabalho interdepartamental para os preços dos produtos alimentares.

 

Canal chinês da Rádio Macau

 

A Ou Mun Tin Toi tem estado esta manhã a recordar que está içado o sinal 1, por causa da tempestade tropical Doksuri. Durante o dia, deve manter-se o sinal 1. Os Serviços de Meteorologia acreditam que durante a noite será içado o sinal 3. Outro tema em destaque: a Polícia Judiciária esteve na zona norte para fiscalizar cibercafés e salas de bilhar.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

O Business Daily publica hoje uma chave de casa na primeira página, imagem para um artigo sobre o modo como o Governo tem estado a garantir habitação às classes desfavorecidas. Há analistas que entendem que estão a ser tomadas as políticas erradas. Dois temas de justiça na primeira do Business Daily: ‘Dente Partido’ viu recusada a saída antecipada da prisão; e Luc Vriens – responsável pela  Waterleau Macau e constituído arguido no processo conexo ao de Ao Man Long que começa a ser julgado em Setembro – a dizer que não fez nada de errado.

 

No Macau Post Daily, destaque precisamente para o início do julgamento do processo conexo ao do ex-secretário para os Transportes e Obras Públicas: o julgamento do La Scala começa em Setembro e junta oito arguidos ligados a obras diferentes. Noutro destaque da primeira página, as três operadoras de autocarros de Macau – querem mais dinheiro para explorarem o serviço público de transporte de passageiros.

 

Quanto ao Macau Daily Times, puxa também pela habitação pública para manchete, ao escrever que há grupos da sociedade civil que duvidam da política seguida pelo Governo. No destaque com fotografia, uma imagem do espectáculo de hoje à noite no Centro Cultural de Macau: os dinamarqueses Mute “juntam muitas formas de arte numa só”.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

O Hoje Macau retoma o tema Clube Náutico, para dizer que há vendas ilegais de lugares. “Sem pontão por onde se pegue”, escreve o jornal em manchete. Outras chamadas de primeira página: “Governo dá 4 milhões aos jovens do território” e “DSSOPT acusada de fiscalização negligente”.

 

“Liberdade recusada”, lê-se nas letras gordas do Ponto Final, para a notícia sobre Pan Nga Koi, que viu ontem recusado mais um pedido de liberdade condicional. No destaque com imagem, o título “Já não chega ser português” – “Agora quem decide se um cidadão português é autorizado a residir em Macau, na maioria dos casos, é o Instituto de Promoção do Comércio e do Investimento”, lê-se ainda.

 

O Jornal Tribuna de Macau opta por puxar para manchete o caso La Scala: “Advogados querem adiar julgamento”. Na imagem, “Venda do Four Seasons ‘não é permitida’”, escreve o diário em título.   

 

Porque hoje é sexta-feira, há O Clarim: “Eu, Leocardo, me confesso”, escreve o jornal em manchete, com uma fotografia de Luís Crespo, autor do blogue “Bairro do Oriente”. Ainda na primeira página: “Coutinho pede explicações ao Chefe” e “Notas na rua sem lei”.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

O South China Morning Post dá grande destaque na primeira página aos secretários escolhidos pelo Chefe do Executivo eleito de Hong Kong. É uma equipa de “visão”, assegura C.Y. Leung, que toma posse no próximo domingo. Noutro tema com destaque de primeira página, as relações entre Hong Kong e Shenzhen: Pequim quer reforçar os laços entre vizinhos.

 

O Standard também dá destaque ao que diz serem “os homens (e a mulher)” de C.Y. Leung. A mulher a que o jornal se refere é Carrie Lam – o único elemento feminino do Executivo assume o segundo cargo mais importante do Governo de Hong Kong. Mas a manchete do Standard faz-se com um outro tema: o acidente com um balão no Ocean Park. Oito pessoas “enfrentaram o horror” quando um balão de hélio caiu. A queda, de 60 metros de altura, fez cinco feridos, nenhum deles com gravidade.

 

O China Daily deixa de lado os movimentos de contestação a Hu Jintao em Hong Kong, para escrever em título: “Passadeira vermelha dá as boas-vindas ao Presidente”. Hu Jintao vai estar nas cerimónias que assinalam os 15 anos do fim da soberania britânica em Hong Kong e na tomada de posse do Governo liderado por C.Y. Leung.