Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

200 crianças envolvidas em bullying em 2010/2011
Domingo, 24/06/2012

Só no ano lectivo de 2010/2011, houve pelo menos 200 crianças envolvidas em casos de bullying em Macau, segundo dados dos Serviços de Educação e Juventude a que o Paralelo 22 teve acesso. Segundo apurou o magazine de informação da Rádio Macau, 19 resultaram em ferimentos, mas apenas dez acabaram por chegar a ser registados pelas autoridades, nesse período de tempo.

 

Roubar, gozar, chamar nomes ou excluir de brincadeiras são actos considerados bullying quando são intencionais e repetidos contra um mesmo aluno. O bullying tornou-se já um problema à escala mundial e, em Macau, os números de um estudo realizado em 2006 pelas escolas mostram uma realidade preocupante: 75 por cento dos entrevistados admitiram ter praticado bullying contra colegas.

 

Muitos dos casos não chegam, no entanto, à luz do dia. Isto porque as vítimas receiam tornar tudo pior com a denúncia, sublinha Doris Mok, professora de psicologia da Universidade de Macau: “Muitas das vítimas de bullying não querem denunciar os casos. Normalmente tentam resolver o problema por eles próprios, até por recearem irritar os bullies e tornar tudo ainda pior e acabarem por sofrer mais. Isto faz com que os casos de bullying sejam pouco relatados.”

 

Segundo Doris Mok, é necessária uma maior vigilância por parte dos adultos, de forma a que o bullie, ou seja, o agressor, se iniba de perseguir algum colega.

 

Mas os adultos devem ter outro factor em atenção: o bullying já deixou de acontecer na escola, sobretudo, na hora do recreio. Os casos registados pelas Forças de Segurança referem-se a agressões entre jovens também nos centros de explicação e mesmo em centros de apoio social.