Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

José Morgado: indexação ao dólar em HK deve ser estudada
Quarta, 13/06/2012

O economista José Morgado compreende as declarações do ex-presidente da Autoridade Monetária de Hong Kong. Joseph Yam lançou recentemente o debate sobre a reavaliação do actual sistema de indexação da moeda de Hong Kong ao dólar norte-americano.

 

José Morgado é da opinião que deve analisar-se a situação que dá maior vantagem à economia da região vizinha. “Sendo um assunto sério, tem de ser equacionado e estudado ao longo do tempo, porque os sistemas e as leis não devem ser imutáveis à evolução económica, devem ser estudados de tempos a tempos para saber se continuam a ter validade para a situação actual”, disse, em declarações à Rádio.

 

Há várias leituras que se podem fazer das palavras de Joseph Yam. Morgado diz que há, por exemplo, a possibilidade de indexação ao renminbi. Uma indexação que, pelo menos para já, não traz muita segurança. “O renminbi é, cada vez mais, uma moeda com uma economia ligada quer a Hong Kong quer mesmo a Macau, nomeadamente pelos fluxos financeiros e também pelos fluxos comerciais, e isto tende a corrigir as realidades da economia. Agora, há uma outra realidade, é que o renminbi não é ainda uma moeda totalmente convertível. Ora, isso limita, à partida, qualquer indexação, digamos, estável ao renminbi”, observa o economista.

 

Outra possibilidade, acrescenta José Morgado, é manter-se a indexação ao dólar norte-americano embora com uma taxa variável diferente da actual, ou então, seguir-se o exemplo de Singapura e da própria China de indexação a mais do que uma moeda.