Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Revista de Imprensa de Macau e Hong Kong (Quarta-feira)
Quarta, 13/06/2012

A questão dos terrenos do La Scala e a indicação do Governo de que vai começar a rever o caso marca a imprensa de hoje, não só em Macau, mas também em Hong Kong.

 

Jornais de Macau em língua chinesa

 

No Va Kio, o caso do La Scala marca a primeira página de hoje, com o jornal a escrever que o Governo começou a tratar da questão dos cinco terrenos. Os lotes, diz o diário, vão ser tratados de acordo com a sentença do Tribunal de Última Instância e o sistema jurídico de Macau. O jornal cita ainda o secretário Francis Tam a afirmar que a sociedade sempre esteve muito atenta a esta questão.

 

A cooperação regional também merece destaque nesta edição de quarta-feira do Va Kio, numa alusão ao encontro que decorreu em Macau entre Fernando Chui Sai On e John Tsang, secretário para as Finanças de Hong Kong. As duas partes decidiram promover um desenvolvimento conjunto e John Tsang disse acreditar que Macau e Hong Kong podem mesmo intensificar a cooperação a nível do turismo.

 

Espaço ainda para as queixas dos proprietários do Edifício Man On, na Avenida do Hipódromo, a respeito da existência de seringas abandonadas na zona. A PSP está a investigar.

 

Na edição de hoje do Ou Mun, o aumento de 23 por cento dos processos penais do Ministério Público é um dos temas em destaque. Ainda a  propósito da criminalidade, a deputada Melinda Chan pede ao Governo um maior esforço no combate ao crime, enquanto a PSP espera uma maior cooperação entre agentes e população para reduzir o número de casos.

 

O jornal conta também a história de uma grávida de sete meses que saltou para o mar para pôr fim à vida, mas acabou por ser salva pelos Serviços de Alfândega de Macau. Referência ainda, no Ou Mun, a um acidente que envolveu três veículos na Ponte Sai Van e que resultou em ferimentos ligeiros em quatro pessoas.

 

Canal Chinês da Rádio Macau

 

Na manhã informativa da Ou Mun Tin Toi, destaque para as expectativas da Associação da Indústria Turística de Macau, que entende que há factores favoráveis que contribuem para o aumento de dois dígitos relativamente à economia de Macau.

 

Destaque ainda no Canal Chinês da Rádio Macau para as declarações de Lao Pun Lap. O coordenador do Gabinete de Estudos das Políticas do Governo afirma que o Executivo da RAEM quer que a população seja feliz e está empenhado em promover o bem-estar a longo prazo.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

Kwan Tsui Hang dá hoje uma entrevista ao Hoje Macau, em que fala sobre os atrasos sistemáticos do Executivo na produção legislativa: “Não tem uma medida útil para o problema”, lamenta a deputada ao jornal. A também presidente da 1ª Comissão Permanente da Assembleia Legislativa fala sobre diplomas fundamentais - como a nova lei dos casinos -, do papel do Governo e das dificuldades que teve em adaptar-se ao trabalho no hemiciclo.

 

Destaque também para o Instituto Politécnico de Macau (IPM), na primeira página deste jornal: “Choi Wai Hao quer sim do Governo para mestrados.” O académico é o director da Escola Superior de Línguas e Tradução do IPM e disse ao Hoje Macau esperar que a nova lei traga igualdade nas competências das instituições do ensino superior.

 

O diário aguça ainda a imaginação do leitor com uma pergunta sobre o Euro 2012: “E se Postiga fizesse como Shevchenko?” O Hoje Macau escreve que Paulo Bento vai pô-lo de novo a titular.

 

No Jornal Tribuna de Macau, também se chama a atenção para o jogo de hoje entre Portugal e a Dinamarca – o diário fala na “primeira final de Portugal no Euro 2012”. A manchete, no entanto, remete para uma entrevista a Carlos Frota, com o título “Regresso à minha segunda terra”. O primeiro cônsul-geral de Portugal na RAEM conta porque escolheu o território para passar os primeiros anos de reforma e relembra o passado. A mulher, Arlinda Chaves Frota, inaugura hoje no Albergue SCM uma mostra de pintura em porcelana.

 

Noutros temas, o jornal destaca a “forte participação” no Chá Gordo de ontem, na residência consular. Ainda na primeira página do JTM, uma referência às compras da China a Portugal, que aumentaram 67,1 por cento até Abril, e ao terreno que as autoridades de Zhuhai vão leiloar na Ilha da Montanha.

 

“Obviamente candidatos”: segundo a notícia que faz a manchete do Ponto Final, Ho Iat Seng, Lionel Leong e Candice Chio avançam para nova candidatura à Assembleia Popular Nacional. O processo para o preenchimento dos 12 lugares em jogo começou esta semana, com o envio de convites, por parte do Comité Permanente, para a constituição do colégio eleitoral. O diário adianta que António José de Freitas, provedor da Santa Casa e um dos membros com capacidade eleitoral confirmada, quer ver “mais macaenses” com direito a voto.

 

O jornal destaca também na capa de hoje uma entrevista ao académico Ivo Carneiro de Sousa, que deixa a Universidade de São José em Agosto. O antigo vice-reitor considera que “o panorama é pobre”, em Macau, a nível da investigação. Para já, o docente prefere não falar sobre a universidade ou o seu futuro pessoal.

 

“Vídeos em Pequim” – a propósito da mostra “What Ever You Want”, que conta com a participação de vários artistas de Macau – e “Cegos dependentes” – sobre a falta de cursos em Macau para os invisuais – são outros dos assuntos em destaque esta quarta-feira no Ponto Final.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

O Macau Post Daily revela hoje, em manchete, que o Governo está a começar a rever a concessão dos terrenos do La Scala, envolvidos no caso de corrupção que no mês passado levou Ao Man Long a ser mais uma vez condenado pelo Tribunal de Última Instância.

 

Ainda na capa do Macau Post Daily, um caso de polícia: as autoridades revelam que “um homem embriagado deu cabeçadas num agente”.

 

Noutros destaques, “Igrejas filipinas acusam Manila de tentar aumentar o número de tropas americanas” no país e “Organização Mundial de Saúde avisa que os fumos do diesel provocam o cancro”.

 

No Macau Daily Times, a manchete também é marcada pelo caso da corrupção na concessão de terras: “Francis Tam dá sinal de que os terrenos do ‘La Scala’ podem ser reclamados.”

 

A capa fica marcada também pela actualidade internacional: numa chamada de primeira página com direito a fotografia, o jornal escreve que “o abastecimento de alimentos é pouco para 16 milhões de nortecoreanos”.

 

O Macau Daily Times faz também referência à falta de força do activismo de base na China, numa alusão à ideia defendida ontem por um académico da Universidade Chinesa de Hong Kong. Ainda na capa deste diário, “acusações criminais aumentaram 23 por cento no primeiro trimestre”.

 

O Business Daily faz as contas às finanças públicas da RAEM: “A cidade faz mais dinheiro do que aquele que consegue gastar.”

 

O diário financeiro da RAEM aborda também na capa a questãodos terrenos do La Scala: “Gabinete de Lau Si Io começou a revisão” do caso.

 

Noutro destaque desta quarta-feira, o Business Daily revela que a “Air Asia queria ter uma base em Macau”. A informação é adiantada ao jornal pelo gerente da companhia aérea na China, que explica que chegaram a ser iniciadas negociações com a Viva Macau.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

Macau tem hoje honras de primeira página no South China Morning Post: “Governo da RAEM em acção legal sobre os negócios de terras”, manchados pela corrupção. O jornal cita Miguel Senna Fernandes afirmando que “é óbvio que o Governo está a agir ao decidir emitir um comunicado”. O advogado entende que o Governo usou a expressão “não deixar de parte” a invalidação das concessões, “porque tem de manter a porta aberta”.

 

Mas a manchete do diário vai para as palavras polémicas do antigo presidente da Autoridade Monetária de Hong Kong, que entende que o território “pode abandonar a indexação ao dólar” americano. O jornal escreve que Josehp Yam, agora professor universitário, “enviou ondas de choque através da cidade” ao chamar a atenção para este assunto, mas o Chefe do Executivo eleito desvalorizou as afirmações.

 

O mesmo tema faz a manchete do The Standard, que conta que Yam “liberta o furor sobre a indexação”. O jornal escreve que o antigo chefe da Autoridade Monetária “choca” no apelo à revisão da situação.

 

“Saída grega precisa de ‘uma resposta clara’”, escreve o China Daily em manchete. O diário ouviu especialistas na área das finanças que indicam que Bruxelas “tem de agir com Pequim e outros [governos] no pior cenário”.

 

Na imagem de capa, o “adeus às armas”, com a polícia a destruir armas ilegais em Tangshan, na província de Hebei. A iniciativa insere-se numa campanha que abrange 150 cidades.

 

O China Daily publica ainda uma reportagem sobre as novas formas de medição de poluição do ar na China.