Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

WSJ: Figura “influente” de Pequim pediu dinheiro à Sands
Sexta, 08/06/2012

O Wall Street Journal revela hoje que “alguém influente de Pequim” pediu à Sands um pagamento de 300 milhões de dólares para resolver questões pendentes em Macau, entre elas a polémica venda dos apartamentos de luxo. O jornal diz que a proposta foi feita através do advogado Leonel Alves.

 

De acordo com a publicação, os factos ocorreram no último trimestre de 2009, quando a Las Vegas Sands se debatia com problemas financeiros. A proposta recebida pela empresa implicava gastar mais dinheiro mas permitiria à operadora resolver algumas questões pendentes.

 

A sugestão foi feita à Sands através de emails, por um advogado com “ligações políticas na China e em Macau” – é assim que o jornal se refere a Leonel Alves, deputado à Assembleia Legislativa, membro do Conselho Executivo e membro da Conferência Consultiva Política do Povo Chinês.

 

Nos emails, que o Wall Street Journal assegura ter lido, Leonel Alves diz ter sido abordado por “alguém influente em Pequim” que propunha o pagamento de 300 millhões de dólares. O pagamento serviria para desbloquear a venda dos apartamentos de luxo da Sands, há muito aguardada, e ainda para pôr um ponto final num processo judicial contra a operadora, uma queixa de um empresário de Taiwan que alega ter ajudado a Sands a obter a licença de jogo em Macau e que pede uma compensação.

 

Os emails terão sido enviados por Leonel Alves a Steve Jacobs, na altura administrador executivo da Sands China. Num destes emails, em Setembro de 2009, Leonel Alves informava que estava em Pequim e que essa “figura influente” da capital o tinha convidado a resolver os dois assuntos pendentes. O jornal reproduz parte desta correspondência, em que Leonel Alves dizia que a pessoa “influente” queria que o advogado falasse com Sheldon Adelson o mais rapidamente possível, para se chegar a acordo. Num outro email, três meses depois, Leonel Alves terá dado conta do pagamento pedido por Pequim.

 

A Las Vegas Sands não comenta especificamente os emails citados pelo Wall Street Journal mas assegura, em comunicado, que “nunca foi feita qualquer sugestão para que a empresa fizesse pagamentos impróprios ou recebesse benefícios impróprios”. O Governo de Macau não comenta o assunto, sendo que o Governo Central adopta uma atitude semelhante.

 

Também as autoridades norte-americanas que estão com o processo que opõe a Sands a Steve Jacobs recusam falar deste caso. Já Leonel Alves respondeu, numa mensagem de texto, que afirmações que sugiram subornos a funcionários do Governo são “completamente falsas”. O advogado vinca que “nada aconteceu”.

 

O nome de Leonel Alves tinha sido já veiculado quando se ficou a saber da queixa de Steve Jacobs contra a Sands, um processo que ainda não está resolvido. O antigo administrador executivo da operadora, que foi despedido em 2010, alegava que Leonel Alves representava “sérios riscos” para a empresa de Sheldon Adelson por causa das ligações que tem ao poder em Macau.