Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Revista de Imprensa de Macau e Hong Kong (Quinta-feira)
Quinta, 31/05/2012

Do fundo de garantia de depósitos bancários aos anteneiros, a imprensa em língua chinesa foca hoje vários temas. O mesmo acontece com os jornais em língua portuguesa, com assuntos tão diferentes quanto a construção do novo Tribunal Judicial de Base, um projecto do arquitecto Carlos Couto, e a possibilidade de o Gabinete de Apoio ao Ensino Superior passar a direcção de serviços. Da imprensa em língua inglesa, destaque para o caso Viva Macau, que chegou aos tribunais.

 

Jornais de Macau em língua chinesa (Ou Mun e Va Kio)

 

O Va Kio escreve hoje na primeira página que o Governo vai injectar 150 milhões de patacas no fundo de garantia de depósitos. Os bancos iniciam as contribuições a partir de 2014. A meta, diz o jornal, é chegar aos 300 milhões de patacas. Destaque também para o caso de uma rede de prostituição: um homem e cinco mulheres foram detidos pela polícia. O suspeito é acusado de lenocínio.

 

No jornal Ou Mun, o regresso do tema “anteneiros”: seis destes operadores suspenderam a emissão de mais de uma dezena de canais de televisão. O diário dá voz às autoridades, que declaram não estar contra os anteneiros. Ainda a visita da delegação de Macau a Sichuan: o secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, Cheong U, diz que não há problemas nos projectos de reconstrução da província. No balanço da deslocação, que incluiu uma paragem em Pequim, Chui Sai On mostra-se optimista em relação ao plano de importação de empregadas domésticas da China Continental.

 

Canal chinês da Rádio Macau

 

A Ou Mun Tin Toi tem estado esta manhã a destacar um seminário sobre segurança organizado pela Reolian, a operadora que teve vários problemas relacionados com acidentes.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

O Macau Daily Times puxa para manchete assuntos legislativos: proposta de lei sobre o regime de garantia de depósitos bancários “passa” comissão da Assembleia Legislativa, lê-se no jornal. Na fotografia da primeira página, que mostra pessoas a fazerem ginástica no Leal Senado, o título “Corpos em movimento no Dia Mundial do Desafio”.

 

“O dia em que a Viva Macau morreu” é o título principal do Business Daily. A decisão do Governo em retirar a licença à companhia aérea, em Março de 2010, depois de uma série de voos cancelados, foi um “choque”, disseram ontem antigos funcionários da Viva ao Tribunal de Segunda Instância. A justiça está a avaliar um recurso interposto pela operadora contra Lau Si Io, secretário para os Transportes e Obras Públicas. Ainda na primeira página do Business Daily, a notícia que dá conta das investigações que um regulador do jogo australiano está a fazer à parceria Melco Crown Entertainment.

 

No Macau Post Daily, o balanço da deslocação de Chui Sai On a Pequim. O Chefe do Executivo disse ontem que os governos de Macau e de Guangdong estão a finalizar os preparativos da proposta sobre o novo posto fronteiriço, a ser submetida ao Governo Central. Outro tema na capa do Macau Post Daily: “Turistas queixam-se de taxa extra – 160 patacas – para visitarem o Venetian”. É mais um conflito entre excursionistas do Continente e guias turísticos locais.

  

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

“Carlos Couto desenha novo tribunal”, avança o Jornal Tribuna de Macau. As Obras Públicas confirmaram ao diário que o arquitecto português foi escolhido para projectar o novo edifício do Tribunal Judicial de Base. As obras devem arrancar no segundo trimestre de 2013 e, promete Carlos Couto, o novo edifício vai ser um “ex-líbris de Macau”. Na fotografia da capa, alunos de uma escola do território a fazerem exercício, com o título: “Quase metade da população ‘desafiou’ cidade da Costa Rica”.

 

O Hoje Macau explora a possibilidade de o Gabinete de Apoio ao Ensino Superior (GAES) passar a direcção de serviços. O criador do GAES, Jorge Rangel, encontra vantagens nesse modelo e Sou Chio Fai, actual coordenador, mostra-se receptivo. “À espera de Cheong”, escreve o jornal em título. No topo da página, uma chamada para um texto sobre os recordes de Macau no Guinness. São “meia dúzia para impressionar o mundo”.

 

Quanto ao Ponto Final, “‘Voto contra’ o Governo”, diz a deputada Kwan Tsui Hang sobre a proposta de lei de mediação imobiliária. O jornal foi ouvir vários deputados sobre o assunto. Na falsa manchete, “Horizonte míope”. O diário entrevistou o oftalmologista Pedro Batalha.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

O South China Morning Post dá grande destaque ao caso do vice-presidente do Banco Agrícola da China suspeito de jogo ilegal e de ter usado indevidamente dinheiro dos clientes para vir apostar nos casinos de Macau. A fotografia da primeira página ilustra uma notícia sobre o envelhecimento da população de Hong Kong, cada vez mais rápido, dizem os números do relatório mais recente do Governo sobre a matéria.

 

No China Daily estão em foco os investimentos estrangeiros na China – são “imprevisíveis”, diz um alto responsável de Pequim. Os resultados de um inquérito conhecidos esta semana indicam que 22 por cento das empresas europeias com negócios na China Continental estão a ponderar transferir as operações para outros países. Em destaque também no jornal oficial um estudo sobre o consumo de tabaco na China: na última década, os hábitos pouco mudaram. Falta à população conhecimento sobre os prejuízos causados pelos cigarros – este é o maior obstáculo à luta contra o tabagismo no país.

 

No Standard, destaque para um tema tratado também pelo South China: o envelhecimento da população de Hong Kong. O jornal distribuído gratuitamente sublinha que o crescimento da economia está ameaçado se a força de trabalho não receber rapidamente uma “transfusão de novo sangue”.