Em destaque

14 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.1522 patacas e 1.1278 dólares norte-americanos.

Revista de Imprensa de Macau e Hong Kong (Terça-feira)
Terça, 29/05/2012

Questões ambientais, a visita de Paulo Portas a Macau, as queixas de inquilinos contra os senhorios e o massacre de 1989 em Tiananmen são alguns dos temas que se encontram hoje nos jornais que podem ser lidos por cá.

 

Jornais de Macau em língua chinesa (Ou Mun e Va Kio)

 

O Ou Mun ocupa boa parte da primeira página com um aparatoso acidente que aconteceu ontem junto ao casino Sands. Suspeita-se que o condutor do veículo que se despistou ia ao volante sob o efeito de estupefacientes. O diário afirma que é necessário melhorar a legislação para evitar casos destes.

 

Outro tema em foco no Ou Mun: a partir de amanhã, é proibido estacionar durante o dia na Rua da Ribeira de Patane. A associação de moradores pede ao Governo flexibilidade em relação ao estacionamento durante a noite.

 

No Va Kio, a manchete faz-se com as declarações do director dos Serviços de Protecção Ambiental. O matutino escreve que Cheong Sio Kei está atento à polémica em torno da construção de um centro de informação de segurança rodoviária. O jornal dá ainda conta da viagem de Chui Sai On a Sichuan. “Cerimónia de conclusão das obras do Centro Desportivo Macau-Guangyuan marcada para esta tarde”, lê-se no Va Kio, que explica que os projectos de reconstrução na província afectada por um violento terramoto em 2008 deverão estar concluídos este ano.

 

Canal chinês da Rádio Macau

 

A actualidade desta manhã tem sido marcada por uma interpelação de Ng Kuok Cheong, que quer que o Governo assuma responsabilidade política pela concessão de terrenos a preços baixos. Outro tema a que a Ou Mun Tin Toi tem dado destaque: o antigo Chefe do Executivo, Edmund Ho, afirma que a reconstrução da província de Sichuan não está a deixar a população desiludida.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

O Business Daily faz hoje manchete com as fracções comerciais transaccionadas em Macau. De acordo com investidores ouvidos pelo jornal, as propriedades são vendidas e compradas por pessoas que estão dentro do sistema, sem chegarem realmente a um mercado aberto, o que torna impossível a entrada de investidores de fora. Outro tema em destaque na primeira página do Business Daily: a Associação Novo Macau foi ontem impedida de entregar uma petição ao secretário para os Transportes e Obras Públicas. Em causa, os terrenos onde está a ser construído o La Scala. De acordo com o jornal, a segurança impediu a associação liderada por Jason Chao de entregar a carta.

 

No Macau Daily Times, “ponte pedonal e uma estrada mais larga para resolver o problema do trânsito no Patane”, lê-se em manchete. No destaque com fotografia, os planos do Presidente norte-americano, Barack Obama, de homenagem aos soldados do país que perderam a vida durante conflitos em que os Estados Unidos participaram.

 

No Macau Post Daily, destaque para o mangal da Taipa e a polémica construção que está planeada para o local. O jornal chama à primeira página as declarações do director dos Serviços de Protecção Ambiental, Cheong Sio Kei, que ontem admitiu a necessidade de ser feito um estudo por uma entidade independente para se avaliar o impacto das obras nas garças selvagens que fazem o ninho junto às Casas-Museu da Taipa. O resto da primeira página é dedicado ao plano urbanístico de Macau. A Universidade de Macau organizou um seminário e vários académicos mostraram-se preocupados com o assunto.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

“Portas do entendimento”, escreve hoje o Ponto Final em manchete, para dar conta da visita do ministro português dos Negócios Estrangeitos, Paulo Portas, a Macau. Na fotografia da primeira página, “Mc ataque”: “A cadeia norte-americana trocou o letreiro luminoso da loja do Fai Chi Kei, substituindo os caracteres tradicionais pelo chinês simplificado. Vários grupos atiraram-se ao Facebook, promovendo um boicote ao McDonalds”, relata o diário.

 

O Jornal Tribuna de Macau avança que “disparam queixas sobre senhorios fora da lei”. Há cada vez mais inquilinos a denunciarem ao Conselho dos Consumidores quebras do contrato de arrendamento por parte dos senhorios. Na chamada com imagem, garças num lago, para o título: “Quase tudo por concretizar na área ambiental”.

 

Quanto ao Hoje Macau, publica uma reportagem sobre os novos imigrantes da China Continental em Macau. “Cultos, exigentes e sem papas na língua”, lê-se na chamada da primeira página. O Hoje Macau puxa também para a capa a visita de Paulo Portas a Macau e as declarações do deputado Gabriel Tong, que diz que os compradores de apartamentos no La Scala “serão protegidos”.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

O South China Morning Post começou já a publicar artigos sobre o massacre de Tiananmen: “4 de Junho ‘podia ter sido evitado’”, lê-se na manchete. O jornal cita o antigo presidente do município de Pequim, Chen Xitong, um dos líderes a quem é apontada a responsabilidade pelo que aconteceu na capital chinesa em 1989. Chen Xitong diz agora que o 4 de Junho foi “uma tragédia lamentável que podia ter sido evitada” e afasta ter participado na decisão de repressão do movimento de estudantes. Outro tema em destaque na primeira página do South China: a Comissão de Reforma Jurídica propõe a introdução em Hong Kong de um mecanismo utilizado nos Estados Unidos para a apresentação colectiva de queixas junto da justiça. A recomendação é feita com cautela: sugere-se que o modelo seja aplicado sobretudo em casos de direito do consumo.

 

No China Daily, grande destaque para a expulsão do antigo ministro dos Transportes Ferroviários do Partido Comunista Chinês. Liu Zhijun é acusado de violações disciplinares graves. O antigo governante é suspeito de corrupção. Na fotolegenda, uma vala comum na Síria, com o título: “Um dia de luto”. A imagem foi captada no sábado, dia em que foram a enterrar vítimas do massacre em Houla, que fez 108 mortos. O jornal oficial vai assim ao encontro da mais recente posição do Governo Central em relação ao que está a acontecer na Síria, condenando o massacre.

 

O Standard deixa o aviso: a utilização excessiva de gadgets, como iPhones e iPads, pode provocar problemas sérios no pescoço e nas costas, dizem os médicos, que alertam também para dores crónicas nos olhos, devido ao tamanho dos telefones.