Em destaque

19 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.16 patacas e 1.12 dólares norte-americanos.

Revista de Imprensa de Macau e Hong Kong (Segunda-feira)
Segunda, 28/05/2012

As promessas do ministro do Comércio chinês a Chui Sai On, o relatório do departamento de Estado norte-americano sobre os direitos humanos em Macau e as previsões de Francis Tam para o sector do jogo são os temas principais da imprensa que se publica no território. Quanto aos jornais de Hong Kong, em destaque a comida desperdiçada pelas principais cadeias de supermercados da região vizinha. Todos os dias, toneladas de bens ainda em condições para serem consumidos são deitadas ao lixo – dariam para alimentar milhares de famílias.

 

Jornais de Macau em língua chinesa (Ou Mun e Va Kio)

 

O Va Kio destaca hoje vários temas na primeira página, entre eles as previsões de Francis Tam para o sector do jogo e as garantias dadas pelas Obras Públicas sobre o novo Posto Fronteiriço Guangdong-Macau: o projecto ainda vai demorar algum tempo a ser executado, mas o Governo promete fiscalizar as obras de “forma rigorosa”. Espaço ainda no Va Kio para o encontro entre o Chefe do Executivo e o ministro do Comércio – Chen Deming garantiu que Macau não terá problemas no acesso a produtos necessários oriundos da China Continental.

 

A reunião de Chen Deming e Chui Sai On é o tema que faz a manchete do jornal Ou Mun, que opta por referir o apoio prometido pelo ministro à realização de convenções e exposições em Macau. Também na primeira página do Ou Mun, a mão-de-obra importada: “Trabalhadores não residentes vão ultrapassar ‘a barreira’ dos 100 mil”. O matutino de língua chinesa mais lido de Macau faz ainda notícia de uma sondagem levada a cabo pela Associação de Saúde Pública de Macau, que chegou à conclusão de que mais de 90 por cento dos clientes e trabalhadores dos restaurantes do território concordam com a lei de combate ao tabagismo. No estudo foram incluídos mais de 200 estabelecimentos de comidas e bebidas.

 

Canal chinês da Rádio Macau

 

O canal em língua chinesa da Rádio Macau tem estado a destacar os números do desemprego no território. São dados avançados hoje pelos Serviços de Estatística e Censos, que apontam para dois por cento – a taxa de desemprego mantém-se. Ainda na Ou Mun Tin Toi, uma interpelação de Kwan Tsui Hang ao Executivo. A deputada estã preocupada com os casos de “falsos casamentos”.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

“Receitas dos impostos do jogo ligeiramente inferiores às do ano passado”, lê-se hoje na manchete do Macau Daily Times. O destaque com fotografia é dedicado ao desporto automóvel: “Webber é o sexto piloto diferente a ganhar em seis corridas” de Fórmula 1. Também com direito a fotografia, uma chamada de primeira página para uma entrevista a um consultor de uma empresa de jogo. “Casinos na Coreia não terão necessariamente um efeito negativo em Macau”, afirma Steve D. Park.

 

O jogo está também em foco na primeira página do Business Daily, com a imagem de uma croupiê a recolher fichas. O presidente da Associação dos Trabalhadores da Indústria do Jogo de Macau quer que o Governo proíba o acesso dos funcionários aos casinos quando estiverem de folga. João Bosco Cheang, antigo deputado, defende que o território deve seguir o exemplo de Singapura. Outros temas em foco na primeira página do diário: Francis Tam com estimativas “conservadoras” acerca do crescimento do sector do jogo para 2012 e o futuro da Ilha da Montanha, que deverá funcionar como zona livre de impostos.

 

No Macau Post Daily, “Inquérito revela que 22 por cento fecham os olhos aos que fumam em restaurantes”. O diário chama ainda à primeira página as declarações de Chui Sai On à partida para Pequim: o Chefe do Executivo afirmou que o Governo não vai interferir no processo judicial de Ao Man Long, uma declaração a propósito da eventual reversão dos cinco terrenos em frente ao Aeroporto de Macau, parcelas que constam do processo do ex-secretário para os Transportes e Obras Públicas.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

O Hoje Macau dá atenção ao relatório dos Estados Unidos que acusa o território de violar direitos humanos. “Macaenses vítimas de discriminação”, lê-se em título. O jornal foi à procura de reacções. Outros destaques: “Chui Sai On diz que Executivo nunca irá interferir” no processo Ao Man Long e “Brasil procura vínculo forte na área de serviços”, explica representante na RAEM.

 

As críticas do Departamento de Estado norte-americano a Macau fazem também a manchete do Ponto Final, que prefere, no entanto, destacar outro assunto. “Autocensura diz a América”, escreve o diário em título. Em falsa manchete, “A força do Mandarim”, numa chamada à notícia que dá conta do número crescente de falantes do idioma oficial da China.

 

No Jornal Tribuna de Macau, uma entrevista a Zheng Yan, o CEO da Air Macau: “Tivemos perdas mas nunca foi ignorada a segurança”. Outros títulos na primeira página do JTM: “Receitas do jogo correspondem às ‘expectativas do Governo’” e “Cavaco ‘desafia’ empresas asiáticas a explorarem potencial de Portugal”.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

O South China Morning Post escreve que os supermercados estão a deitar ao lixo 29 toneladas de comida por dia. A denúncia foi feita por um grupo ambientalista, que assegura que os bens alimentares dispensados por quatro cadeias de supermercados estão ainda em condições para serem consumidos e dariam para alimentar 48 mil famílias. Outro tema na primeira página do South China: a polémica política adoptada por Hong Kong em relação às grávidas da China Continental que vão ter os filhos à região vizinha. A antiga secretária para a Segurança, Regina Ip, diz que o modelo “quota zero” não tem fundamentos legais.

 

Os alimentos deitados ao lixo também estão em destaque no Standard, que apresenta, no entanto, um valor bem diferente, ao referir 87 toneladas por dia. “Que desperdício”, é o título do matutino. Noutro tema tratado pelo Standard, as recomendações do presidente da Henderson Land Develpment. Lee Shau-kee diz que comprar acções de empresas do sector imobiliário é um investimento melhor do que adquirir casas.

 

No China Daily, uma notícia que interessa aos estrangeiros que queiram conhecer a capital chinesa: Pequim está a considerar a possibilidade de autorizar a entrada, sem visto, a estrangeiros, que poderão permanecer na cidade durante 72 horas. Citado pelo jornal, o director do departamento de segurança pública da cidade diz que esta mudança, ainda em debate, será “um sinal crucial de que Pequim está aberta ao mundo”. A fotolegenda do China Daily mostra Wen Jiabao de t-shirt e ténis, acompanhado por vários moradores da aldeia de Lixin, na província de Hunan. “Ao encontro das pessoas”, lê-se no título que acompanha a imagem.