Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Ex-ministro de Sarkozy: Hollande “nunca pôs um pé na Ásia”
Terça, 15/05/2012

O ministro dos Transportes da equipa de Nicolas Sarkozy, Thierry Mariani, esteve hoje em Macau, onde assistiu às comemorações oficiais do Dia da Europa, realizadas no Clube Militar. A passagem pelo território aconteceu precisamente no dia em que, em Paris, François Hollande assumiu o cargo de Presidente do país.

 

A Ásia, considera o recém ex-ministro, está cada vez mais presente na vida dos franceses. “Toda a gente em França está a olhar para o que se passa na Ásia. No meio desta crise económica, estamos a tentar melhorar a nossa relação com a Ásia para termos melhores ligações e para sermos mais fortes, para conseguirmos enfrentar a crise”, afirmou.

 

A principal comunidade francesa na Ásia vive na China. São mais de 40 mil franceses e, diz Thierry Mariani, o número cresce a cada semana que passa. França e China têm uma relação importante, mas é difícil fazer previsões sobre os efeitos da crise económica. “É ainda cedo, estamos no meio desta crise. Espero que possamos encontrar rapidamente uma solução para a Grécia, porque é muito importante para ambas as partes – China e Europa – a manutenção de uma moeda forte”, defende. “Julgo que a criação do euro foi muito importante para a Europa. Neste momento, temos de o salvar.” 

 

Membro de um governo que saiu derrotado nas eleições presidenciais do passado dia 6, Thierry Mariani deseja sucesso à oposição, mas diz que o novo Presidente, François Hollande, é um homem a quem falta experiência internacional. “Sinceramente, estou com algum receio. Espero que seja bem-sucedido, porque sou francês e desejo sucesso para o meu país”, referiu. “Mas é muito estranho constatar que, num país como França, que é importante na política económica, há um Presidente que não tem qualquer experiência em negócios estrangeiros. Por exemplo, nunca pôs um pé na Ásia”, apontou o governante da equipa de Sarkozy, que se despediu do poder em Macau.