Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Macau precisa de mais 150 médicos na próxima década
Segunda, 14/05/2012

São necessários mais 150 médicos no território nos próximos 10 anos. A estimativa é feita pelos Serviços de Saúde de Macau (SSM), que calculam que na próxima década o número de profissionais chegue aos 392.

 

Entretanto, já estão em Macau dois médicos contratados em Portugal – ao todo, vão ser mais de uma dezena. Os profissionais deverão chegar em breve. "Já estamos a enviar os contratos para a confirmação dos trâmites", disse Chan Wai Sin, director do Centro Hospitalar Conde de São Januário (CHCSJ), durante uma conferência de imprensa destinada à apresentação do relatório do progresso periódico relativo à construção das instalações de saúde da RAEM.

 

Chan Wai Sin explicou ainda que os novos médicos portugueses são sobretudo das especialidades de oncologia, pneumologia, anatomia patológica e medicina legal, sendo que estão a ser também recrutados clínicos para trabalharem nas urgências.

 

Estes profissionais, acreditam os SSM, vão ajudar a colmatar as necessidades na área da saúde. O Governo está também a apostar na formação de mais enfermeiros, tendo pedido às instituições de ensino a abertura de vagas adicionais, anunciou Lei Chin Ion, director dos Serviços de Saúde. Lei Chin Ion adiantou ainda que este ano poderá estar concluído o novo regime de médicos internos, seguindo-se depois o concurso para o ingresso de 100 clínicos gerais.

 

Não se sabe, porém, se será necessário contratar mais profissionais de saúde na sequência do alargamento do serviço de urgências do CHCSJ. "Na primeira fase, também por causa da insuficiência de espaço dos actuais serviços de urgência, planeámos 90 camas, por causa da necessidade de reformulação interna. Por isso, vamos utilizar o pessoal existente e depois vamos ver qual a necessidade para planearmos – ou não – o aumento do pessoal", afirmou o director do hospital. As obras devem estar concluídas em meados do próximo ano, acrescentou Chan Wai Sin.