Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Lucros da CTM ultrapassam os 900 milhões de patacas
Quarta, 09/05/2012

Em 2011, a Companhia de Telecomunicações de Macau (CTM), teve lucros líquidos de 933,5 milhões de patacas. Trata-se de um aumento de 15 por cento face ao ano anterior. No ano anterior as receitas cresceram 44,2 por cento para os 3 mil e 981 milhões de patacas.

 

Os resultados da CTM foram impulsionados pela venda de equipamentos de telemóveis, que no ano passado registou um crescimento superior a 200 por cento. Em finais de Dezembro, a companhia registava na rede móvel 633 mil e 936 clientes, mais 23 por cento do que em 2010.

 

Nos próximos três anos, a CTM diz que vai investir 1.200 milhões de patacas no desenvolvimento da rede, o sistema de quarta geração e na fibra óptica. Outro serviço a desenvolver é um pacote de entretenimento que vai incluir televisão, cinema, e informação interactiva. Vandy Poon, administrador da CTM, diz no entanto que a operadora “vai ter de pedir uma licença” e vai “esperar pela oportunidade para trabalhar com o Governo para obter a licença o mais depressa possível”.

 

Até ao final do ano, a CTM, diz Vandy Poon, a fibra óptica vai estar disponível em todo o território. Nesta altura a rede cobre dois terços da RAEM.

 

Quanto à rede fixa, o número de clientes tem vindo a baixar e no ano passado a operadora contava com menos dois mil clientes. Vandy Poon afirma, no entanto, que a operadora não teme a liberalização do sector. “A CTM é de Macau. Servimos Macau. Não temos razão para ter medo. Para  continuar a ser o operador mais forte só temos uma opção: seguir em frente e servir melhor os nossos clientes”, afirmou.

 

Sobre o apagão verificado em Fevereiro deste ano, Vandy Poon garante que a companhia está agora mais preparada,  sublinhando que se tratou de um "erro humano não deliberado".

 

Para este ano, Vandy Poon diz esperar que a companhia continue a registar crescimentos, embora acredite que não sejam tão elevados como os verificados no ano anterior.