Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Economistas da UM estimam quebra no crescimento do PIB
Segunda, 07/05/2012

Os economistas da Universidade de Macau (UM) traçam um cenário menos optimista do que no ano passado. O PIB (Produto Interno Bruto) deve continuar a crescer este ano 18 por cento, ainda assim, menos 2,7 por cento face ao ano passado.

 

O desaceleramento no PIB também deve notar-se em 2013. Os académicos estimam um crescimento na ordem dos 14,4 por cento para esse ano.

 

De acordo com os jornais Macau Daily Times e o Business Daily, os académicos também fizeram outros cálculos, nomeadamente, sobre a taxa de desemprego. A estimativa é que esta taxa deve começar a subir, neste ano para 2,5 por cento,  e no próximo ano, para 2,7 por cento. Isto, apesar de dados recentes do Governo indicarem uma descida da taxa de desemprego no primeiro trimestre deste ano para 2 por cento.

 

Já a mediana dos salários deve iniciar uma tendência decrescente. O Departamento de Economia da UM estima uma decida dos 10,4 por cento, apurados no ano passado, para 8,4 por cento neste ano. No próximo ano, deverá ser pior, a mediana salarial deverá fixar-se nos 8,3 por cento.

 

Os economistas alertam ainda que este ano Macau vai enfrentar “uma grande incerteza”, muito por causa do abrandamento do crescimento económico internacional e da própria China esperado para este ano. Apesar destas previsões, os académicos sublinham que o impacto na indústria do jogo deve, contudo, ser “pouco significativo”.

 

Mas há um dado positivo. Os académicos prevêem uma subida mais branda da taxa de inflação, já neste ano, para 5,5 por cento, menos um ponto do que em 2011. Para o próximo ano, é estimada uma queda para 5,1 por cento.