Em destaque

25 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,0449 patacas e 1,1156 dólares norte-americanos.

 

DSEJ defende mais ensino de línguas
Quinta, 03/05/2012

A Direcção dos Serviços de Educação e Juventude (DSEJ) quer que os alunos do ensino secundário das escolas particulares dominem bem pelo menos uma língua estrangeira, incluindo o português. O Governo vai apoiar os estabelecimentos de ensino que apresentem planos de três anos para aulas de Português, Inglês ou Mandarim.

 

As escolas podem contratar professores e pedir apoio para o pagamento dos salários ao Fundo de Desenvolvimento Educativo. Exige-se que as aulas de Mandarim, Português ou Inglês tenham um mínimo de 15 alunos por turma.

 

No caso do ensino da língua portuguesa, a DSEJ disponibiliza-se para ajudar na contratação de docentes. O plano aponta ainda a possibilidade das aulas serem de Cantonês para os estudantes de outras línguas maternas.

 

Este apoio faz parte do plano da DSEJ relativo à capacidade linguística para o ensino secundário. Nos próximos 10 anos, as autoridades pretendem aumentar o interesse pela leitura, literatura e expressão escrita.

 

O Fundo de Desenvolvimento Educativo prevê um total de apoios de 11,7 milhões de patacas. Há já 111 pedidos de financiamento das escolas em fase de apreciação, mas para diversos fins – não se destinam apenas a aulas de línguas.

 

Os serviços têm pedido à Escola Portuguesa de Macau (EPM) a realização de cursos de português para alunos do ensino secundário. Neste sentido, foi pedido à EPM que organize cursos de cultura portuguesa para as férias de Verão.