Em destaque

14 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.1522 patacas e 1.1278 dólares norte-americanos.

Revista de Imprensa de Macau e Hong Kong (Quinta-feira)
Quinta, 03/05/2012

A fórmula “+2+2+100” é, como se esperava, a que consta das propostas do Governo para o desenvolvimento do sistema político e o tema domina esta quinta-feira as primeiras páginas dos jornais locais. Em Hong Kong, o grande destaque do South China Morning Post vai para a confusão gerada em torno do dissidente cego chinês, Chen Guangcheng. São títulos para conferir aqui, na Rádio Macau.

 

Jornais de Macau em língua chinesa (Ou Mun e Va Kio)

 

O jornal Va Kio destaca na primeira página as propostas do Governo para a alteração das metodologias de escolha do Chefe do Executivo e da constituição da Assembleia Legislativa. O diário explica que o número de membros do Colégio Eleitoral do Chefe do Executivo aumenta para 400 e que no hemiciclo há mais dois lugares para os deputados eleitos pela via directa e outros dois para os escolhidos por sufrágio indirecto.

 

Ainda a propósito do desenvolvimento do sistema político, o Va Kio escreve que a consulta pública “recebeu cerca de 165 mil pareceres” e que, desses, mais de 40 mil sugerem “o cancelamento do mecanismo de ‘candidato automaticamente eleito’”. Mais de 80 por cento, acrescenta o jornal, concordam com a solução “+2+2+100”.

 

O diário destaca também as justificações da secretária para a Administração e Justiça sobre as acusações de manipulação na recolha de opiniões. Florinda Chan, diz o jornal, afirma que a consulta pública sobre o sistema político “não é uma votação”.

 

A reforma política marca também a capa do Ou Mun: “Conselho Executivo anuncia as propostas sobre a alteração de dois anexos da Lei Básica” – a fórmula “+2+2+100” é a adoptada.

 

Noutro tema da actualidade local, em destaque na capa do Ou Mun, “Passagem de motociclos na ponte - é o público que manda?”. O jornal diz que o Governo pretende apresentar várias medidas a curto prazo.

 

O meio ambiente merece também destaque na primeira página do jornal: Kai Fong pedem ao Governo que resolva o problema da poluição no Canal dos Patos.

 

O diário conta ainda que o “auto-silo do Parque Central da Taipa entra em funcionamento hoje” e disponibiliza mais de mil lugares de estacionamento para motociclos e automóveis.

 

Espaço ainda para o mundo do crime: “Assaltantes conquistam várias zonas no período de férias.” O diário explica que a Polícia Judiciária está a investigar uma série de assaltos a residências, templos e sanitários públicos mas que ainda não deteve quaisquer suspeitos.

 

Canal Chinês da Rádio Macau

 

Na manhã informativa do Canal Chinês da Rádio Macau, destaque hoje para uma interpelação escrita de Kwan Tsui Hang ao Governo: deputada “apela à vigilância rigorosa nas licenças especiais de condução”.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

“Rui Rocha sai do IPOR no Verão”, avança o Hoje Macau em manchete. O jornal explica que o presidente do Instituto Português do Oriente deixa o cargo “por iniciativa própria” e acrescenta que o “substituto será escolhido em concurso público”. O diário informa também que “Carlos Monjardino lamenta a saída”.

 

Sobre a reforma política, o Hoje Macau escreve que “crianças subscrevem proposta do Governo”. Noutro tema com honras de primeira página, as declarações da deputada Kwan Tsui Hang, que denuncia a existência de “estudantes trabalhadores estrangeiros nos casinos”. Destaque ainda, no Hoje Macau, para os dias de maternidade: “Mulheres reivindicam lei civilizada.”

 

O caso de Chen Guangcheng também merece chamada de capa no Hoje Macau que informa que o “dissidente saiu da embaixada americana”.

 

“Opiniões de todos e mais alguns” é o que se lê na manchete do Jornal Tribuna de Macau, que informa que as “propostas sobre reforma política seguem para a Assembleia Legislativa”. O diário sublinha que o Governo recebeu mais de 160 mil opiniões “mas não garante que sejam só de cidadãos de Macau e de maiores de 18 anos”. O JTM alude, assim, às palavras da Secretária para a Administração e Justiça que justifica tratar-se “apenas de uma recolha de ideias”, “não uma votação nem um acto legal”.

 

Na imagem principal da capa do JTM, uma viagem de cicloturistas que culminou ontem em Macau: “Pedalaram meio mundo pela aventura e contra a crise.” Noutros títulos, o diário noticia que o “Programa de Português é alargado à África e à Ásia” – em causa uma iniciativa da Fundação Calouste Gulbenkian.

 

O jornal conta ainda que a “questão dos ‘filhos maiores’ é levada ao Consulado de Portugal” e que a “passagem pedonal na Taipa é criticada por Chan Meng Kam”.

 

No Ponto Final, a manchete vai para o ex-secretário para os Transportes e Obras Públicas: “Ao quebra o silêncio.” O arguido, explica o diário, “fez-se ouvir pela primeira vez neste terceiro julgamento, negando ter escrito os documentos que estão a ser usados como prova de subornos nas ETAR”.

 

Na fotografia principal da capa, há mobília: “Mudam as cadeiras”, titula o Ponto Final, numa alusão ao encerramento do debate sobre a reforma política. O diário escreve que “a consulta pública espelha a dança democrática que o Governo conduz e Pequim aplaude”.

 

Noutros temas em destaque nesta edição de quinta-feira, o Ponto Final conta também a história dos cicloturistas Tanya Ruivo e Rafael Polónia, com o título “Cortar a meta” e alude ao apelo da Comissão dos Assuntos das Mulheres que sugere ao Governo “a ampliação da licença pós-parto” – “Mais maternidade”, escreve o Ponto Final em título.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

O Macau Post Daily é a grande excepção dos diários de língua inglesa, ao não fazer qualquer referência à reforma política na primeira página. O jornal, que ontem não se publicou devido ao feriado, puxa para manchete a concessão de um terreno do Cotai à Wynn Macau - o diário fala num “negócio de 25 anos avaliado em 1.430 milhões de patacas”.

 

Mas há mais uma notícia referente ao mundo do jogo na primeira página do Macau Post Daily: “Receitas dos casinos abrandam em Abril” – “é a mais baixa taxa de crescimento desde Janeiro de 2010”, explica o diário.

 

No Business Daily e no Macau Daily Times é a reforma política que faz as manchetes.

 

O Business Daily traça uma espécie de jogo do galo - ou tabuleiro de xadrez - onde se vê uma conta de somar: “2+2 igual a 33”. Trata-se de uma referência ao número de deputados que a Assembleia Legislativa vai ter caso estas propostas de alteração às leis eleitorais sejam aprovadas por uma maioria de dois terços, no hemiciclo. No título, o jornal conclui que está “traçado o caminho da reforma do sistema político”.

 

Ainda no Business Daily, “construção do Wynn Cotai começa antes de Junho” - é uma promessa de Steve Wynn.

 

Destaque ainda, no diário financeiro de Macau, para o novo regime jurídico da promessa de transmissão de edifícios em construção, um diploma que já chegou à Assembleia Legislativa mas que ainda não foi votado na generalidade. O Business Daily informa que as casas vendidas pelo Governo - ou seja, as habitações públicas - ficam “isentas” da obrigação de registo de apartamentos.

 

No Macau Daily Times, pode ler-se na manchete que o Conselho Executivo foi “questionado sobre a decisão relâmpago em torno da reforma política”.

 

A imagem de capa vai, no entanto, para uma aventura: “Casal viajou de bicicleta desde Portugal ao longo dos últimos 19 meses.” O jornal cita-os dizendo que ainda acreditam que “tudo é possível”.

 

Noutros títulos do Macau Daily Times, “jornalista de Hong Kong barrado, explicações exigidas”, “Ao Man Long quebra o silêncio no julgamento por alegada corrupção” e “Wynn obtém concessão de terreno para resort na Strip do Cotai”.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

O South China Morning Post publica hoje uma fotografia do dissidente chinês cego, Chen Guangcheng, à chegada ao hospital, de cadeira de rodas e mãos dadas com o embaixador americano Gary Locke e o assessor jurídico do Departamento de Estado, Harold Koh. Mas, no título da manchete, o diário denuncia a “confusão” gerada em torno das condições em que Chen deixou a embaixada americana: “Activista cego que fugiu dá entrada no hospital depois de lhe terem garantido que poderia viver em segurança, mas, mais tarde, explicou que o fez porque as autoridades chinesas ameaçaram espancar a mulher até à morte.”

 

No South China Morning Post desta quinta-feira, ainda a saga familiar da Sun Hung Kai Properties: “Walter Kwok mostra-se confiante no acordo original da família.” O jornal explica que “o filho mais velho diz que o documento assinado pelos irmãos significa que a mãe não tinha autoridade para o remover da condição de beneficiário”.

 

Noutro destaque da primeira página, o South China Morning Post dá-nos a conhecer “um gostinho da vida ministerial sob a liderança de CY Leung” – o diário diz que há “mais tempo para visitas e políticas”.

 

No China Daily, um encontro de líderes na fotografia da primeira página: o vice primeiro-ministro chinês, Li Keqiang, a ser recebido, em Bruxelas, pelo primeiro-ministro belga, Elio Di Rupo.

 

A imagem divide as atenções do leitor com a notícia de que “o uso da energia pode ser restringido em 2015”. O China Daily explica que os governos de província foram consultados e que “o plano aguarda a aprovação final”. A proposta, revela o diário, aponta para um tecto máximo de consumo de energia equivalente a 4,2 mil milhões de toneladas de carvão.

 

Ainda na primeira página do China Daily, “equipas de socorro preparadas para salvar mais mineiros” – o jornal diz que unidades de alta tecnologia, “estrategicamente localizadas”, vão ser “oficialmente lançadas este ano”.

 

Noutro tema, o diário oficial chinês cita especialistas que entendem que tomar suplementos pode não ser a solução mais adequada para a saúde e que “a natureza continua a ser a melhor forma de aumentar o consumo de nutrientes”.

 

No jornal The Standard, a capa é hoje ocupada na íntegra por um anúncio a uma loja de roupa. Na página 2, o diário lança uma questão sobre a polémica que envolve o dissidente cego chinês, Chen Guangcheng: “Será que ele foi obrigado?”