Em destaque

18 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.20602 patacas e 1.1314 dólares norte-americanos.

Revista de imprensa de Macau e Hong Kong (Quarta-feira)
Quarta, 02/05/2012

As manifestações do 1º de Maio estão hoje em destaque nas capas da imprensa de língua portuguesa e inglesa. Os jornais aludem a protestos sem incidentes e com apelos à reforma.

 

Jornais de Macau em língua chinesa

 

Ao contrário dos jornais locais de língua portuguesa e inglesa, o Ou Mun não destaca na primeira página as manifestações do Dia do Trabalhador. A capa do diário de língua chinesa de maior tiragem no território faz-se com a celebração dos restos mortais do Buda. O Ou Mun informa que 80 mil pessoas participaram no evento de ontem, no Macau Dome, e adianta que tanto os praticantes do Budismo como os restaurantes vegetarianos saíram a ganhar.

 

A referência às “1400 pessoas” que participaram nos protestos do 1º de Maio surge nas páginas interiores do diário. A reforma política e a habitação, diz o jornal, foram alguns dos motes dos protestos de ontem.

 

Noutros temas desta edição de quarta-feira do Ou Mun, o balanço do movimento nas fronteiras – o jornal fala em 290 mil pessoas e num fluxo de turistas “significativamente reduzido” nas Portas do Cerco.

 

A cooperação entre Macau, Hong Kong e Zhuhai, na área da propriedade intelectual, e ainda um alerta aos consumidores que aderiram ao sistema de compras colectivas através da Internet são outros temas abordados hoje pelo Ou Mun.

 

Devido ao feriado de ontem, o Va Kio não se publica esta quarta-feira.

 

Canal chinês da Rádio Macau

 

No Canal Chinês da Rádio Macau, destaque, esta manhã, para o mundo do jogo e, em particular, para a Wynn Macau. Segundo a Ou Mun Tin Toi, a empresa promete construir um novo estilo de resort de nível internacional. Em causa está a concessão de um terreno de 206 mil metros quadrados na zona do Cotai, no valor de mais de 1400 milhões de patacas.

 

Ainda nesta manhã informativa do Canal Chinês da Rádio Macau, uma interpelação escrita de um deputado: “Chan Meng Kam duvida que as autoridades tenham sabido aplicar o princípio de ‘servir melhor a população’.”

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

Também na imprensa local de língua inglesa as manifestações do 1º de Maio dominam esta quarta-feira as atenções.

 

“Dia dos Trabalhadores em nome da democracia” é o título do Macau Daily Times, que dedica a foto da primeira página aos protestos de ontem, no território.

 

A manchete do diário vai, no entanto, para os “mais de 1500 académicos de topo da Ásia” que “vão estar reunidos em Macau no próximo ano”.

 

Na capa desta quarta-feira, o Macau Daily Times destaca ainda o “Robuchon A Galera”, que está “entre os cem melhores restaurantes do mundo”, e uma entrevista a João Botas, a respeito do seu livro sobre Macau durante a II Guerra Mundial. Na actualidade internacional, chamada de primeira para o encontro entre o chefe das Nações Unidas e Aung San Suu Syi – é a primeira vez que os dois se encontram, sublinha o diário.

 

No Business Daily, destaque para a Macau Cable TV, que apela ao Governo para abrir o mercado de banda larga, “para bem da economia”. Trata-se de uma entrevista à directora executiva da empresa, Angela Lam In Nie, que lembra que há um ano a companhia manifestou interesse em oferecer, por metade do preço, o serviço de Internet actualmente disponibilizado apenas pela CTM.

 

A referência ao 1º de Maio também não falta na capa do Business Daily: “Manifestações pacíficas apelam à mudança”.

 

Ainda nesta primeira página, o diário financeiro revela que os relatórios sobre transacções monetárias, apresentados pelos casinos, ultrapassaram o meio milhão. São dados processados pelo Gabinete de Informação Financeira no ano passado.

 

O Business Daily escreve ainda, na capa, que a Speymill – a antiga proprietária da Torre AIA - vai sofrer uma reestruturação, para procurar uma maior rentabilidade.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

Nos jornais locais de língua portuguesa, comum a todos é a referência aos protestos do Dia do Trabalhador. O Jornal Tribuna de Macau fala em “vozes reformistas no 1º de Maio”.

 

Ainda na actualidade local, “casas vendidas em Março encareceram quase 30 por cento” e “tarifas da electricidade sobem no segundo trimestre”. A subir, de acordo com o JTM, estão também as “importações de carros e motos”, que aumentaram 43 por cento no primeiro trimestre do ano.

 

O Jornal Tribuna de Macau noticia ainda que o “Executivo promete proteger o ‘valor cultural’ de Coloane” e que os analistas “criticam burocracia e defendem melhor distribuição de recursos na Função Pública”.

 

“Pan Nga Koi deposto por Pequim” é a manchete do Ponto Final, que publica uma entrevista com Manuel Monge, que era secretário-adjunto para a Segurança, quando o Dente Partido foi detido, a 1 de Maio de 1998. O diário escreve que o antigo dirigente considera que Pan Nga Koi “acabou o seu reinado quando a China percebeu que tinha de intervir”.

 

“Política no Dia do Trabalhador” é o título que acompanha a grande imagem da capa do Ponto Final. O diário refere que “a polícia contou ontem 1400 manifestantes, liderados por sete associações”.

 

“Maio, maduro Maio”, escreve o Hoje Macau em manchete, aludindo a “manifestações sem incidentes”. O jornal explica que os participantes nos protestos “expuseram os seus pontos de vista, maioritariamente pouco favoráveis às políticas do Governo”.

 

Noutros destaques do Hoje Macau, “menores de 21 não entram mesmo nos casinos” e “Democratas são ‘xenófobos’”, acusa Pereira Coutinho. O diário fala ainda na actualidade portuguesa e nas “desculpas escavacadas” no caso BPN.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

O South China Morning Post destaca a investigação da Comissão Independente contra a Corrupção (ICAC, na sigla inglesa) e escreve que “Kwok reforça o regresso no império da família”. O diário explica que Walter Kwok, afastado pelos dois irmãos, promete continuar a batalha legal pela participação na Sun Hung Kai Properties e nega ter qualquer conhecimento sobre o alegado papel desempenhado na empresa pelo antigo secretário chefe.

 

“Murdock não serve para liderar”, diz ainda o diário, numa outra chamada de primeira. Trata-se de uma alusão ao relatório do parlamento britânico que condena o facto de o patrão da News Corp, hoje com 81 anos, ter fechado os olhos às escutas telefónicas.

 

Noutro tema com honras de primeira página, o ranking dos melhores restaurantes. O South China Morning Post conta que há quatro estabelecimentos de Hong Kong no topo da lista mundial.

 

Destaque ainda, no South China Morning Post, para uma notícia que envolve a RAEM: "Macau nega entrada a fotógrafo do Post." O diário adianta que a Associação de Jornalistas de Hong Kong exige explicações por parte das autoridades da RAEM.

 

Economia em destaque na capa do China Daily: “indicador sobre a produção melhora” – “o principal índice de produção aumenta, mas há ainda algumas nuvens sobre a economia”, avisa o jornal.

 

Na imagem, o primeiro-ministro Viktor Orban a cumprimentar o vice primeiro-ministro chinês Li Keqiang, em Budapeste.

 

Noutro destaque de capa, nesta quarta-feira, o China Daily fala em cientistas da área do espaço que se viram para a naturea: algas e caracóis, escreve o jornal, “podem providenciar oxigénio suficiente para missões de longa duração”.

 

Numa outra notícia com direito a chamada de primeira página, o diário oficial chinês refere-se a projectos para garantir a qualidade da água para consumo.

 

O jornal The Standard destaca na primeira página a “aposta na China”. O diário escreve que as esperanças de as apostas nas corridas de cavalos virem a ser autorizadas no Continente saem reforçadas com a encomenda de 800 cavalos irlandeses para Tianjin. Um negócio avaliado em 400 milhões de dólares de Hong Kong.