Em destaque

21 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.21 patacas e 1.13 dólares norte-americanos.

Coutinho e Amigos saíram à rua pela democracia e igualdade
Terça, 01/05/2012

Entre os manifestantes do 1º de Maio estava o grupo Pereira Coutinho e Amigos. Depois de entregar uma carta na Sede do Governo, o presidente da Associação dos Trabalhadores da Função Pública (ATFPM), que saiu à rua a título pessoal, disse à Rádio que é preciso combater a “educação de rebanho”.

 

“Estamos a ter uma educação de rebanho [...] não há uma troca de impressões, não há uma discussão de ideias, não há uma educação, nem ao nível secundário nem universitário, da Lei Básica artigo por artigo. A conclusão é que quando essas pessoas saem para o mercado de trabalho ficam extremamente assustadas porque a realidade é outra”, apontou. Pereira Coutinho sublinha que só, nessa altura, as pessoas “se apercebem das injustiças sociais” e como o Governo “está a enganá-las”. “O Executivo não tem interesse em educar as pessoas nos seus direitos fundamentais, quer manter a população analfabeta para governar a seu bel-prazer. O Governo está manietado por uma pequena minoria dos senhores do poder que controlam todos os nossos recursos e o resultado está à vista”, justificou.

 

Fernando Gomes esteve ao lado de Pereira Coutinho. O médico defende mais quatro deputados eleitos pela via directa e menos quatro nomeados. “A Assembleia Legislativa é, no fundo, a casa das leis e não há sociedade nenhuma que consiga arranjar um equilíbrio e um desenvolvimento com futuro sem ter uma representação estável e democrática ao nível da Assembleia. Caso contrário, estão lá mais correligionários de alguns interesses, que acabam por ter uma série de manipulações decisórias e até legislativas. Isto não pode ser assim, a Assembleia tem de ser isenta e deve legislar de acordo com o interesse e vontade da população”.