Em destaque

21 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.21 patacas e 1.13 dólares norte-americanos.

1º de Maio: jovens reivindicam maior liberdade
Terça, 01/05/2012

Algumas centenas de jovens juntaram-se hoje à manifestação promovida pela Juventude Dinâmica. Além do problema da falta de habitação e da taxa de inflação, os mais novos gritaram por mais liberdade e democracia.

 

Durante todo o itinerário, gritaram, agitaram cartazes e até arrastaram um pequeno autocarro de papel com as cores da Reolian e com as caras dos secretários nas janelas. Nesta manifestação os jovens não se calaram. “Estou a reclamar do Governo, que pensa que os jovens não vão falar livremente. Esta é uma boa oportunidade de nos fazermos ouvir”, disse Jessica Lee.

 

Já Cheng aproveitou para sublinhar que quer votar nas eleições para o Chefe do Executivo. “Nós precisamos de mais poder para mudarmos a sociedade de Macau. A sociedade não representa, neste momento, aquilo em que acredito, e nós, os jovens, não podemos fazer tudo o que queremos. Eu quero votar no meu líder”, apontou.

 

A Juventude Dinâmica saiu à rua com outra reivindicação importante: o fim da alegada censura no canal chinês da TDM. E como o trajecto entre a Alameda da Tranquilidade, local da concentração, e a Sede do Governo, incluía uma passagem pela frente do edifício, os manifestantes aproveitaram para parar aí vários minutos e colarem no muro autocolantes que diziam “TDM mentirosa”.

 

Para o vice-presidente da Juventude Dinâmica, que também é vice-presidente da Associação Novo Macau, Scott Chiang, a censura no canal chinês só vai acabar quando houver uma reforma administrativa. “É necessária uma reforma na administração da TDM. E devia ser criada uma comissão, aberta tanto para os profissionais como para os cidadãos. Assim, podíamos monitorizar as operações da estação e dos departamentos noticiosos”.