Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Habitação social: Chui Sai On promete mais três mil fracções
Quinta, 26/04/2012

O Governo vai avançar com a construção de mais três mil fracções de habitação social. A promessa foi feita esta tarde pelo Chefe do Executivo, na Assembleia Legislativa. “Posso já dizer que depois de ter as 19 mil fracções concluídas, vamos ter ainda mais três mil fracções. Estas obras vão ser realizadas com a maior brevidade possível”, anunciou Chui Sai On, na primeira deslocação do ano ao hemiciclo para dar conta do andamento da execução das Linhas de Acção Governativa.

 

Sobre as 19 mil fracções, prometidas ainda por Edmund Ho, o líder do Governo assegurou que ficam concluídas até ao final deste ano. Já quanto à gestão da lista de espera dos candidatos, questão levantada pelo deputado Pereira Coutinho, é um assunto que ainda está a ser estudado.

 

O Chefe do Executivo não descarta a possibilidade de ser construída habitação pública nos terrenos que têm revertido para a RAEM, estando convicto de que no futuro haverá parcelas suficientes. No entanto, alertou para a necessidade de a política de habitação social não colidir com o desenvolvimento “saudável” do sector do imobiliário.

 

A inflação e o sistema do mercado abastecedor de Macau foram também temas levantados durante as três horas de plenário. Chui Sai On deu a entender que, neste momento, não há grandes medidas a adoptar – diz que há que esperar pelas consequências das políticas já levadas a cabo.

 

“Os resultados desse trabalho só se conseguem ver depois de algum tempo. Para muitos dos produtos, como vegetais ou carne, temos já adoptado determinadas medidas, especialmente importando de regiões vizinhas. É um problema que preocupa a população”, reconhece. “Na vertente intermédia temos feito uma série de trabalhos”, reiterou.

 

Questões ligadas à qualidade de vida, educação, saúde e segurança social fizeram também parte das preocupações dos deputados. Chui Sai On admitiu que têm sido colocadas em prática medidas para resolver problemas imediatos, tendo acrescentado que estão a ser estudados mecanismos de longo prazo.

 

A deputada Kwan Tsui Hang quis saber quais são as intenções do Governo em relação ao futuro do sistema de segurança social. Chui Sai On entende que chegou a hora de patrões e trabalhadores começarem a contribuir mais para o sistema de previdência. “Esperamos, através da concertação social, encontrar um consenso entre trabalhadores e empregadores para ver como é que se podem aumentar as contribuições a serem prestadas”, referiu, colocando a possibilidade de uma subida de cinco por cento. “É já tempo oportuno para começar os trabalhos de debate e negociação”, vincou, dizendo esperar que o processo de negociação tenha início “em meados do ano”.

 

A diversificação da economia, o apoio às pequenas e médias empresas e a entrada dos investidores de Macau na Ilha da Montanha também foram assuntos abordados. Cheang Chi Keong perguntou a Chui Sai On como pretende o Governo executar a política definida por Pequim em relação à transformação de Macau num centro mundial de turismo e de lazer. Chui Sai On considera que fazem falta parques temáticos no território. “Hoje em dia, em Macau, de facto há falta de parques temáticos e, por isso, o Governo vai apoiar e investir no sentido de criar em Macau mais parques temáticos”, prometeu.