Em destaque

21 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.21 patacas e 1.13 dólares norte-americanos.

Revista de Imprensa de Macau e Hong Kong (2ª-feira)
Segunda, 23/04/2012

De segunda a sexta, a Rádio Macau dá-lhe a conhecer os temas de capa dos jornais de Macau, em chinês (Ou Mun e Va Kio), em inglês e em português, do Canal Chinês da Rádio Macau e ainda dos jornais de Hong Kong em língua inglesa.

 

Jornais de Macau em língua chinesa

 

O jornal Va Kio destaca a abertura das propostas para o concurso de emissão de 200 novas licenças de táxi. O diário escreve que “o preço mais alto baixou em relação ao concurso anterior” e a Direcção dos Serviços para os Assuntos de Tráfego alega que os concorrentes “têm confiança”.

 

A educação em destaque também na primeira página do Va Kio, com o jornal a explicar que Wong Kin Mou, chefe de departamento da DSEJ, informa que as escolas já entregaram o relatório sobre a contratação do pessoal não qualificado. O Governo insiste que o Quadro Geral do Pessoal Docente das Escolas Particulares “pode promover o desenvolvimento profissional e a garantia à profissão”.

 

Ainda na primeira página, o Va Kio lembra que “o Chefe do Executivo vai estar presente no plenário da Assembleia Legislativa, na próxima quinta-feira”.

 

No jornal Ou Mun, depois da publicidade que ocupa na íntegra a primeira página, também os táxis estão em destaque nesta edição de segunda-feira: “Novos alvarás com o valor máximo de 1 milhão e 100 mil patacas.” Ainda sobre este tema o jornal escreve que “90 por cento dos empréstimos podem ser reembolsados em seis anos”.

 

A reforma política é outro dos assuntos a merecer grande destaque na edição de hoje do Ou Mun: “População participa na reforma política, de acordo com o seu desejo e com racionalidade.” O diário escreve que “mais de metade da população concorda com a fórmula ‘+2+2+100’”, mas alude também ao referendo levado a cabo ontem pela Associação Novo Macau: “2500 pessoas participaram na votação sobre a reforma política.”

 

Ainda no que diz respeito ao futuro do sistema político da RAEM, o jornal escreve que a Direcção dos Serviços para os Assuntos de Justiça “falou com sete mil estudantes sobre a reforma política” – ao longo de quase 30 sessões - e diz também que a “maioria dos jovens de Macau apoia a corrente principal”, ou seja, a fórmula “+2+2+100”.

 

O Ou Mun anuncia também que o director dos Serviços de Administração e Função Pública, José Chu, e a directora dos Serviços da Reforma Jurídica e do Direito Internacional, Chu Lam Lam, vão estar hoje presentes para falar sobre a reforma política, na Rádio Macau.

 

Canal Chinês da Rádio Macau

 

Na manhã informativa do Canal Chinês da Rádio Macau é também a reforma do sistema político que domina as atenções. A Ou Mun Tin Toi informa que “José Chu e Chu Lam Lam escutam as opiniões transmitidas pelos ouvintes da rádio” e que terminado o período de consulta pública sobre a reforma política, o Governo vai agora resumir e analisar as opiniões recolhidas.

 

O Canal Chinês da Rádio Macau não esquece, também, o referendo promovido ontem pela Associação Novo Macau: “2.565 pessoas participam na actividade de votação civil.”

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

O South China Morning Post puxa para manchete o mundo dos negócios: “Patrocinador da listagem é primeiro a perder licença” – uma referência ao caso da delegação de uma empresa de Taiwan, a Mega Capital, que é a primeira no território a ver as entidades reguladoras de Hong Kong retirarem-lhe o direito de desenvolver actividades de consultadoria na área das finanças. A companhia enfrenta multas no valor de 42 milhões de dólares de Hong Kong, informa o diário.

 

Ainda a polémica sobre o político chinês Bo Xilai na primeira página do South China Morning Post: “Investigação às ligações da família Bo a Hong Kong.” O jornal escreve que Pequim envia uma força de intervenção para investigar as alegações de que Bo Xilai terá bens escondidos em Hong Kong.

 

O South China Morning Post diz ainda, na capa, que “um lugar em Cambridge é cada vez mais difícil para estrangeiros”.

 

No jornal China Daily, destaque para a “sexta viagem do primeiro-ministro chinês à Alemanha” - uma viagem que “revela confiança na Zona Euro”. A visita de Wen, diz o jornal, “reforça os laços estratégicos”.

 

Noutro tema de capa no jornal oficial: “De Hollywood com perícia.” O diário escreve que a “experiência de trabalho com um estúdio americano pode servir de oportunidade para impulsionar a indústria cinematográfica da China”.

 

 “Mulher de Beck voa em confusão na Cathay.” É a manchete do The Standard. Em causa está uma partida que Victoria Beckham pregou aos passageiros de um voo entre Hong Kong e Pequim. A mulher do jogador de futebol usou o telefone do avião para anunciar que o aparelho se preparava para aterrar, mas era mentira. O público não gostou da partida que Victoria divulgou na Internet – com direito a fotografia - e encheu os fóruns do ciberespaço com críticas à antiga Spice Girl, por pôr em risco a segurança aérea.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

“A proposta de valor mais elevado no concurso para a emissão de novas licenças de táxis atinge 1,1 milhões de patacas – cinco vezes mais do que o mínimo exigido.” O balanço é feito, em manchete, pelo jornal Macau Post Daily.

 

O diário dá ainda conta dos anseios dos docentes: “Professores preocupados com a nova avaliação de desempenho, que temem ser ‘injusta’.”

 

Noutros títulos do Macau Post Daily, “Pacquiao mistura religião com treino” – uma notícia sobre a estrela filipina do boxe – e “Hollande vence Sarkozy nas eleições francesas, ambos passam à segunda volta”.

 

Ainda na primeira página do Macau Post Daily, destaque para o entretenimento: “Cristãos sul-coreanos protestam contra o concerto da Lady Gaga.”

 

No Business Daily, “empresários de Hong Kong passam a arguidos” – é mais um desenvolvimento do terceiro julgamento de Ao Man Long.

 

Em destaque no diário financeiro está também uma entrevista a Ruben Cabral, o reitor demissionário da Universidade de São José. Em título: “Custo do novo campus da universidade duplica.”

 

Noutros títulos que marcam a capa do Business Daily, ainda a polémica que envolve a Estação de Tratamento de Águas Residuais de Macau.  O conglomerado austríaco-indiano defende que todas as propostas têm que ser analisadas “simultaneamente e comparativamente” e que o Chefe do Executivo deve ordenar a abertura do concurso púlblico internacional e nomear uma comissão.

 

“Residentes precisam de melhorar a consciência ambiental.” O aviso faz a manchete do Macau Daily Times, que destaca na imagem “um prémio monetário recorde no Derby da SJM” – uma alusão à corrida de ontem, no Macau Jockey Club.

 

O Macau Daily Times também traz hoje uma entrevista ao professor Ruben de Freitas Cabral. O reitor demissionário da Universidade de São José afirma que “as universidades têm a ver com o que não sabemos”.

 

Noutros títulos desta edição do Macau Daily Times, “reformas políticas dividem opiniões” e “20 milhões de magnata de Hong Kong foram para o bolso de Ao Man Long”.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

“Última chamada”, escreve o Ponto Final em manchete. O jornal explica que “a consulta pública para alterações ao sistema político termina esta tarde” e que, “ao longo das últimas semanas, várias associações se mobilizaram para dar a conhecer o processo”. O diário alude ainda ao texto de Lao Pun Lap, divulgado ontem: o líder do think-tank do Governo diz que “pode haver sufrágio universal para o Chefe do Executivo, mas não é para já”.

 

A actualidade internacional dá o mote à imagem de capa do Ponto Final: “Franceses às urnas.” O diário diz que “a comunidade expatriada deslocou-se ontem a Hong Kong para escolher o próximo presidente” e que, “em Macau, espera-se que o voto seja menos conservador que no passado”.

 

No Hoje Macau, é “uma questão de vontade”. O diário escreve que a “Lei Básica não impede a eleição do Chefe do Executivo por sufrágio universal. “No dia de todos os referendos sobre o processo de reforma política promovidos pelas associações locais, o Gabinete de Estudo das Políticas do Governo da RAEM revelou que nem o Chefe do Executivo pode escapar ao escrutínio popular.” Contudo, escreve o jornal, “Lao Pun Lap alerta: ‘Macau possui especificidades que é preciso ter em conta’”.

 

Noutros títulos de capa, o Hoje Macau destaca o caso Ao Man Long – “Dois empresários de Hong Kong constituídos arguidos” – e a Liga de Elite – “Benfica perde e fica mais longe do título”. Referência ainda à “crise Bo Xilai”: “Falhas no sistema à vista de todos.”

 

O Jornal Tribuna de Macau publica hoje uma entrevista ao arquitecto Carlos Couto que entende que “não há visão e audácia na tomada de decisões de fundo”.

 

Noutras chamadas de primeira página do JTM, “licenças para novos táxis custam entre 830 mil e 1,1 milhões de patacas” e “seleccionados 16 estudantes locais para estudar Direito em Portugal”.

 

A reforma política e o caso Ao Man Long também marcam presença na capa do jornal, com os títulos “reforço dos deputados directos conquista 93 por cento dos votos em ‘referendo’ do Novo Macau” e “processos conexos ao caso Ao Man Long não param de aumentar”.