Em destaque

22 de Março 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.2311 patacas e 1.1378 dólares norte-americanos.

Alexis Tam: Governo está aberto a discutir taxas turísticas
Segunda, 21/01/2019
Alexis Tam diz que o Governo está aberto a discutir a sugestão da deputada Agnes Lam de impor taxas turísticas a quem entra no território. O secretário para os Assuntos Sociais e Cultura considera a ideia “interessante”, mas ressalva que há diferentes opiniões na sociedade e que é preciso discutir.

“É interessante, mas cada um tem liberdade para se expressar. Ela pode perguntar aos outros deputados se concordam ou não, porque isso não é apenas a opinião dela. Se calhar vocês também não concordam. Eu não sei. O Governo está aberto não apenas à ideia dela. Vocês sabem que aqui há muitos lóbis. Eu estou aberto, mas é melhor ouvir a opinião dos cidadãos, da sociedade”, afirmou.

Alexis Tam falava à margem do Fórum Internacional de Gastronomia em Macau. Um fórum que reúne 21 Cidades Criativas da UNESCO - a maior participação de sempre da Rede de Cidades Criativas da UNESCO na área da Gastronomia.

No discurso de abertura, o secretário para os Assuntos Sociais e Cultura destacou que a entrada de Macau na rede de cidades criativas, em 2017, desafia o Governo a criar mais oferta para os turistas.

Alexis Tam destacou o crescimento do número de visitantes nos últimos 19 anos. Em 1999 foram sete milhões; no ano passado as estimadas do Governo ultrapassam os 35 milhões de turistas.

O secretário, que já chegou a defender a ideia de negociar com o Governo central a imposição de limites à entrada de visitantes chineses em Macau, coloca agora a tónica no turismo de qualidade.

“A nossa política é sempre para atrair melhores turistas para Macau, como turistas europeus, portugueses, espanhóis e ingleses que vêm para apreciar a nossa cultura, (…) a cultura mista entre Portugal e a China”, afirmou .

“Temos de atrair melhores turistas que vêm a Macau para apreciarem o nosso património mundial, a nossa cultura e gastronomia, vêm para consumir, para estimular a economia”, defendeu.

Por outro lado invocou os limites existentes: “Já existe controlo de turistas individuais da China, só existem 49 cidades chinesas que podem vir a Macau com mais facilidade. (…) Macau não está aberto para todas as cidades chinesas”.

Fátima Valente