Em destaque

22 de Março 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.2311 patacas e 1.1378 dólares norte-americanos.

Helena S. Fernandes: "Limitar turistas pode ser prejudicial"
Segunda, 14/01/2019
Fixar um número limite de turistas pode prejudicar a imagem de Macau. É o que diz a directora dos Serviços de Turismo, Helena de Senna Fernandes, que acredita que uma iniciativa deste tipo é algo que precisa de ser estudado aprofundadamente.

“Como podemos estabelecer um critério assim? A livre entrada de pessoas é uma maneira de medir a abertura de cidade e limitar a entrada a certas pessoas vai influenciar a imagem de Macau”, disse a directora.

Sobre as taxas a pagar por quem entra no território - uma ideia lançada pela deputada Agnes Lam - Helena de Senna Fernandes lembra que os locais onde a prática também acontece, como na cidade italiana de Veneza e no Japão, a medida serve “para aumentar as receitas e investir esse dinheiro no melhoramento de infra-estruturas, não tanto para diminuir a entrada de turistas”.

A directora do Turismo confirmou novamente que em 2018 o número de turistas em Macau “ultrapassou os 35 milhões”. Ainda faltam chegar os números finais dos serviços de migração, mas Senna Fernandes realça que os últimos dois meses do ano, “com a abertura da ponte sobre o Delta, que ajudou a aumentar os números”, trouxeram subidas “a rondar os dez por cento”.

O balanço anual superou as expectativas, porque no início do ano o Governo apontava para um aumento do número de turistas na ordem dos três por cento e no fim de 2018 a “subida do número chegava aos nove por cento”.

Helena de Senna Fernandes reconhece que para Macau ter condições para receber tamanho fluxo de turistas, também precisa de melhorar as infra-estruturas. Em especial, os transportes: “Na parte das infra-estruturas temos necessidade de melhorar, principalmente nos transportes.

O metro ligeiro vai ajudar a reforçar esta área. Por outro lado, precisamos também de melhorar os serviços de táxis”.

Helena de Senna Fernandes falou também da abertura ao público do Hotel 13, em Coloane. O complexo ainda está em regime de “soft opening”, que por outras palavras significa que só recebe convidados, mas na passada semana os responsáveis do hotel pediram uma reunião com os serviços, tendo em vista a data de abertura oficial.

“Eles querem reunir com o Turismo e esperamos ter mais informações. Ainda não agendámos, mas vai ser em breve, ainda este mês”, garantiu Helena de Senna Fernandes.

As declarações da directora dos Serviços de Turismo aconteceram esta segunda-feira, durante a cerimónia de bênção tradicional da demonstração culinária dos chefs de cidades criativas da UNESCO, que acontece este fim-de-semana no Anim’Arte, junto ao Lago Nam Van.

João Picanço