Em destaque

16 de Janeiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.2523 patacas e 1.1411 dólares norte-americanos.

Metro ligeiro: debate com Governo esta tarde na AL
Sexta, 11/01/2019
O Governo vai hoje à Assembleia Legislativa prestar contas sobre o metro ligeiro. É um debate que acontece a pedido de vários deputados, preocupados com a forma como o projecto do metro ligeiro tem sido conduzido e com o modo como vai ser desenvolvido no futuro.

A deputada Agnes Lam pretende um debate sério sobre o que deve acontecer às actuais obras do metro: se devem ser alteradas e como; ou se os trabalhos relativos a alguns troços devem ser suspensos, para se começar de novo. O objectivo, sublinha, é debater ideias para se definir uma “orientação da política” sobre esta matéria e resolver o que a deputada chama de “problema da baixa eficácia, da incompetência e da falta de responsabilização”.

Ng Kuok Cheong e Au Kam San também avançaram com uma proposta de debate sobre o tema, lamentando as “derrapagens orçamentais”, os “atrasos” e a “alteração e suspensão de planos de desenvolvimento” no projecto. Problemas a que se somam, alegam os dois deputados, a “falta de benefícios” e a previsão de uma “operação com perdas”.

Ng Kuok Cheong e Au Kam San defendem, assim, uma “revisão integral” do projecto e exigem também justificações para as “dificuldades enfrentadas, as falhas cometidas” e o tratamento que foi dado a essas questões.

Já Leong Sun Iok afirma, na sua proposta de debate, que é preciso evitar que o metro ligeiro se torne “o elegante branco do século”. O deputado quer garantias de que algumas das situações do passado não se vão repetir, como é o caso das “alterações no progresso das obras” e da “divulgação de custos só depois da adjudicação”.

O membro da bancada dos Operários quer obter esclarecimentos do Governo sobre os planos e orçamentos de diversas áreas do projecto, para que este “corresponda aos princípios dos benefícios sociais e económicos”.

Sofia Jesus