Em destaque

19 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.16 patacas e 1.12 dólares norte-americanos.

Novo hospital: Alexis Tam invoca "complexidade" do projecto
Segunda, 10/12/2018
O secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, Alexis Tam, justificou ontem os atrasos do futuro hospital das ilhas com a “complexidade” do projecto de concepção e passou para a tutela das Obras Públicas a responsabilidade de avançar prazos para a conclusão do complexo hospitalar.

Em declarações aos jornalistas, divulgadas num comunicado emitido na última noite, o secretário exemplificou que qualquer modificação no projecto do Complexo de Cuidados de Saúde das Ilhas carece da aprovação de “mais de dez serviços públicos competentes ou autoridades”, o que explica, em parte, a demora na fase de concepção.

Alexis Tam afirmou ainda que, “há alguns meses, terminou o procedimento de aprovação do projecto de concepção e a lista dos números das obras que foram entregues ao Gabinete de Desenvolvimento de Infra-estruturas, para efeitos da adjudicação e desenvolvimento das obras de construção”. Por isso, defendeu, a data de conclusão do projecto “deve ser definida pelos Serviços das Obras Públicas”.

O secretário garantiu que durante este tempo em que não existe ainda o complexo hospitalar das ilhas, o Governo tomou diversas medidas para melhorar os serviços de saúde prestados no território. Entre elas, disse, estão a contratação de mais profissionais, o prolongamento dos horários do Centro Hospitalar de Conde de São Januário e dos centros de saúde e a aquisição de serviços junto de algumas instituições médicas.

Nestas declarações aos jornalistas, o secretário defendeu também o reforço do orçamento da tutela, que sobe para 35 mil milhões de patacas no próximo ano. A ideia, argumentou Alexis Tam, é “retribuir” à sociedade, para garantir o bem-estar da população.

O secretário assegurou ainda que a equipa que dirige tem “exigido e fiscalizado, com muito rigor, o cumprimento escrupuloso do princípio de transparência por parte dos serviços, com vista a garantir que o erário público é bem aplicado”.

Alexis Tam justificou o aumento do orçamento da Secretaria para os Assuntos Sociais e Cultura com medidas como a actualização dos montantes da pensão para idosos, da pensão de invalidez e de vários subsídios no âmbito da acção social. O governante lembrou ainda o reforço nas áreas da saúde e educação, para onde são canalizados, no total, 13 mil milhões de patacas.

Sofia Jesus