Em destaque

21 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.21 patacas e 1.13 dólares norte-americanos.

Padre Manuel Teixeira faria hoje 100 anos
Domingo, 15/04/2012

O Monsenhor Manuel Teixeira chegou a Macau apenas com 12 anos, a 16 de Setembro de 1924, e viria a tornar-se uma figura incontornável da história contemporânea de Macau, cidade onde viveu a maior parte da vida e a que dedicou milhares de páginas. Se fosse vivo faria hoje 100 anos. 

 

O Padre Manuel Teixeira deixou uma vasta obra onde compilou informações preciosas para os estudos da história dos portugueses no Oriente: 125 livros escritos e incontáveis artigo que se estendem por 50 mil páginas.

 

Para a historiadora Beatriz Basto da Silva, o Padre Manuel Teixeira “serviu como os monges da Idade Média, como copistas” tendo sido como uma “ponte do passado para o presente”. A historiadora considera mesmo que “se ele não tivesse feito isso nós hoje não sabíamos imensas coisas do passado”.

 

Além de Macau, o Padre Teixeira viveu em Singapura, para onde partiu em 1948 e onde viria a viver 14 anos. Foi superior e vigário geral das missões portuguesas da futura cidade-estado e também em Malaca.  

 

Viagens a Portugal, foram apenas três, mas foi lá que recebeu as maiores distinções, incluindo o título de Comendador da Ordem Militar do Cavaleiro de São Tiago e Espada, a mais antiga condecoração do Estado Português. Do Papa João Paulo II viria a receber o título de Monsenhor.

 

A 15 de Maio de 2001, 76 anos depois de ter chegado a Macau, o Padre Manuel Teixeira regressava a Portugal. Viria a falecer aos 91 anos em Chaves, a 15 de Setembro de 2003. No Paralelo 22 desta semana recordamos a vida e obra do Padre Manuel Teixeira. Um programa que pode ouvir aqui na página da Rádio Macau.