Em destaque

19 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.16 patacas e 1.12 dólares norte-americanos.

Depois da greve de fome Novo Macau organiza referendo
Domingo, 15/04/2012

A Associação Novo Macau vai promover um referendo sobre os lugares da Assembleia Legislativa. A iniciativa está marcada para o próximo domingo, dia 22 de Abril, e tem por objectivo dar oportunidade a todos os residentes de se manifestarem sobre o número de deputados.

 

O presidente da associação, em declarações à Rádio Macau, diz que serão “rigorosos na permissão do voto”. Jason Chao justifica a promessa com o facto de se observarem “muitas práticas estranhas na recolha de opiniões pelo Governo e, também, na recolha de assinaturas para petições de associações tradicionais”. De acordo com Jason Chao vai ser exigido o “BIR para garantir que a mesma pessoa só vota uma vez”.

 

Este referendo é inspirado naquele que foi organizado em Hong Kong, há cerca de um mês, por altura das eleições para o cargo de Chefe do Executivo, pelo Programa de Opinião Pública da Universidade de Hong Kong.

 

O mentor deste referendo de Hong Kong, Robert Chung, vai também estar na próxima quarta-feira Macau. O académico irá apresentar os resultados de um estudo, encomendado pela associação, sobre o interesse dos residentes na política.

 

Estas duas iniciativas seguem-se à greve de fome de 24 horas que terminou ao meio-dia deste domingo. Foram quatro as pessoas que aderiram a esta acção: a três elementos do Novo Macau, incluindo Jason Chao, juntou-se um jovem da Macao Youth Dynamics.

 

“Com esta greve de fome, passámos uma mensagem ao público de Macau. E pudemos perceber, do contacto com os residentes, porque é que alguns estavam dentro do assunto da reforma política e por que é que outros não conseguiam simplesmente perceber a questão”, afirma Jason Chao.  O presidente da Associação Novo Macau acrescentou ainda que vários residentes disseram estar fora do assunto da reforma política por não perceberem a terminologia técnica usada no texto para consulta pública.