Em destaque

14 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.1522 patacas e 1.1278 dólares norte-americanos.

CCAC: 16 elementos dos Serviços de Saúde acusados de burla
Quinta, 12/04/2012

Dezasseis funcionários dos Serviços de Saúde são acusados dos crimes de falsificação de documentos e burla. Todos eles são elementos de uma equipa médica destacada no Posto Fronteiriço do Cotai, que terão falsificado o registo de ponto aproveitando uma “deficiência” no registo de ponto, entre Abril de 2007 e Junho de 2011.

 

Os 16 elementos foram alvo de uma investigação do Comissariado contra a Corrupção (CCAC). Em comunicado, o órgão de investigação criminal explica que a equipa estava destacada no posto fronteiriço do Cotai e tinha como missão medir a temperatura corporal a quem entra em Macau. O organismo acredita que os funcionários se ausentaram diversas vezes do território sem autorização do superior hierárquico e terão também deixado a RAEM durante um mês inteiro sem terem cumprido as escalas de serviço que lhes estavam destinadas.

 

Diz ainda o CCAC que os arguidos assinavam as folhas de ponto antes ou depois das ausências, sendo que um deles é acusado de ter falsificado o registo 181 vezes.

 

O comissariado explica também que um dos funcionários tinha a responsabilidade de fiscalizar a assiduidade dos restantes. Este elemento vai acusado de mais um crime: além de burla e falsificação de documentos, terá de responder também por abuso de poder.

 

O Comissariado contra a Corrupção diz que a burla é superior a 200 mil patacas, valor de remunerações que não deviam ter sido pagas. O CCAC garante que, durante a fase de investigação, os arguidos confessaram os crimes e recomenda aos Serviços de Saúde que adoptem procedimentos mais eficazes para que se evitem situações do género. O caso já seguiu para o Ministério Público.