Em destaque

21 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.21 patacas e 1.13 dólares norte-americanos.

Susana Chou: cidadãos contra falta de fiscalização na AL
Terça, 10/04/2012

Os cidadãos da RAEM mostram-se contrários ao sufrágio indirecto porque sentem que falta fiscalização do Governo na Assembleia Legislativa (AL), acusa a antiga presidente do hemiciclo. No seu blog, Susana Chou argumenta que quem está contra o sufrágio indirecto em Macau não tem esta posição por não concordar com a forma de eleição dos deputados, mas antes por estar insatisfeito com a qualidade dos trabalhos da AL.

 

Os cidadãos estão descontentes com a fiscalização do hemiciclo, que entendem ser insuficiente, e, por isso, diz Susana Chou, culpam os regimes de escolha de deputados através de nomeação e de sufrágio indirecto.

 

Quanto à reforma do sistema político, a antiga presidente da AL revela apoiar a proposta de alargamento do número de deputados defendida pela maioria - mais dois por sufrágio directo e mais dois por sufrágio indirecto –, por entender que assim se evita um desequilíbrio na estrutura do hemiciclo.