Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

AIPIM vai emitir carteira de jornalista
Quarta, 03/10/2018
Os jornalistas de Macau, sócios da Associação de Imprensa em Português e Inglês (AIPIM), vão ter carteira profissional, uma “acreditação independente” através da ligação à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ).

O cartão segue o formato da Carteira Internacional de Jornalista da FIJ, da qual a AIPIM é membro associado desde Novembro passado.

“É um caminho que já vinha a ser traçado e que agora chega a um ponto de concretização, no âmbito de uma perspectiva de auto-regulação, e numa perspectiva independente. (...) É uma acreditação de âmbito associativo, que poderá ter eventuais benefícios, na medida em que as jurisdições o reconheçam”, afirma o presidente da AIPIM, José Carlos Matias.

A AIPIM espera ter as primeiras carteiras de jornalistas emitidas até ao princípio do ano.

O documento é atribuído pela Comissão de Credenciação de Jornalistas da AIPIM. Esta comissão vai avaliar se o requerente segue o estatuto do jornalista aprovado pela associação.

Ao contrário do que acontece em Portugal, o estatuto de jornalista não tem vínculo legal em Macau. “O que existe é um documento interno aprovado pelos sócios da AIPIM, que de forma voluntária adoptam aqueles príncipios como os seus princípios”, explica José Carlos Matias.

O presidente da AIPIM adianta que se mantêm os contactos com a Comissão da Carteira Profissional de Jornalista (CPCJ) em Portugal.

Em Junho do ano passado, a CPCJ esclareceu que os profissionais que trabalham no estrangeiro, nomeadamente em Macau, podem ser acreditados como jornalistas, desde que “tenham comprovadamente exercido a profissão em regime de ocupação principal, permanente e remunerada, e pretendam retomar a actividade, no mesmo regime, em Portugal”.

Fátima Valente