Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Obras públicas "portaram-se bem" no tufão, diz secretário
Quarta, 19/09/2018
O Secretário para os Transportes e Obras Públicas fez um balanço positivo da resposta das infra-estruturas durante a passagem do tufão Mangkhut. Apesar dos cortes de electricidade efectuados pela CEM, por precaução, Raimundo do Rosário acredita que os trabalhos de prevenção foram bem feitos.

“A obra humana nunca é perfeita e há sempre espaço para melhorar. Mesmo a questão da electricidade acho que não foi assim tão mau. No ano passado tivemos de reparar 220 postos de transformação e este ano 90. Nós não temos problemas graves, nem médios, em nenhuma das nossas obras. A única coisa que nos fala verificar é a parte eléctrica das carruagens do metro. Fizemos o mesmo que a CEM e também desligámos. Temos de voltar a testar”, disse o secretário.

O governante admite que o problema das cheias nas zonas baixas “vai continuar” e “só com o tempo e com obras de maior envergadura”, como a bomba de água sob a alçada do Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais ou o dique idealizado para o Porto Interior é que o problema pode ser solucionado.

Raimundo do Rosário esclareceu também o desenvolvimento das zonas C e D dos novos aterros, que ainda estão com as obras por começar: “A C é a que está em frente aos jardins do oceano e a D é a que fica junto à antiga universidade. Quanto à D estamos agora a avaliar as propostas e vamos assinar contrato. Lá para o fim do ano ou início do próximo estaremos a começar o aterro da zona D”.

Já para a zona C, “o projecto está em curso”.

Declarações da tarde desta quarta-feira, à saída da terceira reunião deste ano do Conselho para a Renovação Urbana.

João Picanço