Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Mais 20% de lixo recolhido no primeiro dia pós-tufão
Terça, 18/09/2018
Foi recolhido “mais 20 por cento do lixo” nas primeiras 24 horas após a passagem do tufão Mangkut do que em igual período após a passagem do Hato, no ano passado, de acordo com o Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais (IACM).

Entre as quatro da manhã de ontem até às 11 horas de hoje foram recolhidos 2545 toneladas de lixo, disse o presidente do Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais (IACM), num balanço à comunicação social, após reunião da estrutura da Protecção Civil.

“Foi mais do que quando o Hato assolou o território. O que é que significa isto? Significa que desta vez, na recolha de lixo, a eficácia foi acelerada”, afirmou.

José Tavares destacou também a maior frequência da circulação dos camiões do lixo. Para o presidente do IACM foi possível recolher mais lixo porque houve mais capacidade de manobra nas ruas, e também porque as aulas estiveram suspensas na segunda-feira.

José Tavares apelou à população para continuar a depositar o lixo nos 50 postos provisórios de recolha.
Já o comandante-geral dos Serviços de Polícia Unitários (SPU) e comandante de acção conjunta da estrutura de protecção civil, Ma Io Kun, disse que as principais vias da cidade foram desobstruídas e limpas até à madrugada de hoje.

Os trabalhos de limpeza tinham sido iniciados às 7h00 de segunda-feira.

No balanço aos jornalistas, o secretário para a Segurança, Wong Sio Chak, disse que a Companhia de Electricidade de Macau (CEM) “espera reforçar o fornecimento de energia local de 30 para 50 por cento”, acrescenta um comunicado do Gabinete de Comunicação Social.

“Sobre a Sociedade de Abastecimento de Águas de Macau (SAAM), o secretário disse que a empresa pretende solidificar os portões contra inundações da estação de abastecimento de água da Ilha Verde”, adianta.

Fátima Valente