Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Mangkhut: Governo admite voltar a chamar exército
Sábado, 15/09/2018
O secretário para a Segurança admitiu hoje a possibilidade de o Governo pedir o auxílio da Guarnição em Macau do Exército de Libertação do Povo Chinês para responder ao desastre do tufão Mangkhut.

Questionado sobre se o exército chinês voltaria às ruas de Macau, como aconteceu no ano passado com o Hato, Wong Sio Chak respondeu que a Guarnição tem participado nas reuniões que têm sido realizadas e que tem conhecimento dos planos da estrutura da protecção civil.

“Se o Governo de Macau achar que é necessário, podemos fazer um pedido à República Popular da China, e depois eles vão dar uma ordem para a Guarnição poder participar nos nossos trabalhos”, disse na conferência de imprensa sobre a resposta ao Mangkhut.

Ao abrigo da Lei do Estacionamento de Tropas na Região Administrativa Especial de Macau, o Governo "pode, quando necessário, pedir ao Governo Popular Central o auxílio da Guarnição em Macau, para manter a ordem pública ou acorrer a calamidades".

No ano passado, mil soldados da Guarnição em Macau do Exército de Libertação do Povo Chinês participaram nos trabalhos de resposta à catástrofe causada pela passagem do tufão Hato. O pedido foi feito pelo chefe do Executivo, Chui Sai On, a 25 de Agosto, dois dias depois do pior tufão em mais de meio século.

Esta foi uma medida inédita desde a transferência de Macau para a China, em 1999.

Fátima Valente